Fim do Ensino Médio? Não!

Foi divulgado ontem para o país uma MP de 2013 pelo MEC uma reestruturação no Ensino Médio como o conhecemos. Muito se falou e especulou nas redes sociais, principalmente sobre o “fim” das matérias de Filosofia e Sociologia. Elas não serão eliminadas mas deixarão de ser obrigatórias a partir do 1° ano, assim como Educação Física. Apenas Português, Matemática e Inglês serão obrigatórias.

Mas vamos lá! Me formei no ano de 2014 pela rede Estadual de São Paulo e no caso nunca fui afeito as matérias de Exatas, lembro-me que minha primeira nota vermelha veio em Química no 2° ano, afinal aqueles montes de cálculos e equações não entravam em minha cabeça e por isso tive notas médias nessa matéria como nas demais que envolveram números, apenas no Ensino Fundamental tive um desempenho OK em matemática. Em português e nas demais matérias que chamamos de Humanas sempre foram o carro forte do meu Boletim Escolar.

A realidade é bem diferente da semeada pelos jovens no Twitter por exemplo ou em textões no Facebook. Foi possível ver uma onda de choro por parte dessas pessoas que nem se quer leram o projeto ou sabem de quem é sua autoria, muitos nem sequer sabem que Dilma Rousseff propôs medida igual. Como eram as aulas de Sociologia e Filosofia ou como são ainda? — Uma grande chatice! Lembro que aulas de Sociologia era apenas cópia de textos em livros didáticos ou eram aulas sonolentas de professores eventuais que passavam textos idiotas na lousa e ao fim davam o “vistinho” o mesmo praticamente ocorria com as aulas de Filosofia, nunca entraram a fundo em pensamentos de Platão ou sobre as escolas de pensamento da Grécia. Ambas aulas eram apenas um enorme engodo na grade e de pouca duração, nunca cheguei a completar se quer um caderno inteiro em nenhuma dessas matérias, o mesmo considero para Educação Física são aulas onde os garotos ficam no futebol e as meninas e alguns garotos ficam o vôlei e outras espalhados pela área externa da escola conversando ( na minha época) hoje no celular.

Considero todas as disciplinas importantes mas o Brasil não faz a lição de casa nas matérias base como Português e Matemática quem dirá nas demais ?

Sempre foi levantado em salas de aulas o debate sobre a reformulação do currículo escolar e das estruturas das escolas, afinal ambas parecem presídios por serem sujas, pichadas e cheio de grades. Um pesquisa consolida essa exposição, fica claro que 32% querem um ambiente moderno e inspirador seja por objetos novos ou ambientes modernos e atrativos, 25% querem ter algumas disciplinas obrigatórias e escolher outras e 36% desejam realizar atividades práticas ou resolução de problemas. A pesquisa ainda trás os seguintes índices: Só 1 em cada 10 está satisfeito com as aulas e os materiais pedagógicos e metade considera o prédio e a estrutura de suas escolas inadequados. A pesquisa contou com mais de 130 mil alunos do país todo e de diversas regiões,idades e gêneros, ela deixa claro que os alunos querem currículos elegíveis e um ambiente ao todo diferente do que esta aí.

Claro por de trás dessa mudança a uma clara politicagem tanto por educadores e haverá por políticos da oposição e também por sindicatos principalmente pela APEOSP que em 2015 foi contra a mesma proposta só que para o Estado de SP. Como falei no texto sobre o Escola Sem Partido essas matérias são fontes de doutrinação ideológica do Ensino Médio ao Superior que se encontra dominado pela ideologia de esquerda.

As discussões nas mídias sociais, blogs ou pela imprensa sera rasa e de poucos frutos. Um lado defenderá a MP pois se trata de uma modernização do ensino que no mais se equiparará a modelos adotados por países europeus de da Oceania como Austrália, outros dirão que Temer chegou para tirar o senso critico dos nossos pobres jovens. Essas pessoas só se esquecem que segundo essa mesma pesquisa praticamente 90% querem uma mudança no ensino, alias ensino esse que esta cada vez mais precário e emburrecedor como demonstra a ultima pesquisa IDEB que mostra o declínio no conhecimento brasileiro nas matérias bases como Português e Matemática e seu retrocesso em anos, resta-nos apenas aguardar a decisão do congresso que pode aprovar ou não essa MP que terá um difícil debate pois a mesma meche com as estruturas do velho.

Fontes: