Considero a obediência um agradável elemento construtor de personalidade. Há no respeito às leis, um subentendido amor pelas coisas retas e respeito por todos aqueles que seriam afetados pela sua rebeldia. Não há, entre os concebidos normais, qualquer um que se oponha a bondade que emana daquele que evita problemas. Tendo vivido tempo demais sob o véu da subordinação, creio ter encontrado o lado obscuro de escolher o bem. Ele se revela e constitui o fundamento da tristeza humana. Ser oprimido pela ordem, ainda que bem entendida e motivada, desperta nossos instintos mais inatos, enquanto a nossa consciência impõe o emprego da ação correta. Despreza-se quaisquer facilidades, qualquer realização de desejo. Um cidadão responsável evita explicações sobre sua conduta, mas lamenta a constrição de suas vontades.

22/06/13

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.