Desentralhando

Livre-se de relacionamentos, objetos e atividades que tomam tempo do que realmente importa

fonte: udemy.com

Confesso, já fui uma acumuladora. Guardava tudo o que era possível achando que um dia aquilo seria necessário, ano passava e a tralha continuava estática. Eu me enganava na boa arrumação e assim as tranqueiras se disfarçavam.

Há um ano mais ou menos, resolvi dar uma repaginada, deixar pra trás o que era desnecessário — coisas, memórias e alguns sentimentos que elas representavam — resolvi viver mais leve. Revisitei alguns valores importantes para mim como natureza e saúde, e passei a me afastar de outros, como o consumismo. Isso se refletiu nos objetos que escolhi descartar.

Ter menos implica em fazer menos escolhas, logo, facilita a vida e diminui a tensão e a ansiedade.

Se você tem inquietações e sente que quer mais organização e simplicidade na vida, talvez essas ideias possam lhe aproximar de uma vida plena:

1. Agrupando objetos

Junte itens por tipo, por exemplo: todas as canetas que tiver pela casa devem ser guardadas no mesmo local, assim como todos os xampus, todos os chinelos etc. Seguindo esta dica, você tem mais clareza do que é realmente necessário manter e o que é excesso.

2. Selecionando itens

O que você escolher guardar deve estar pronto para uso.

  • Limpe e conserte todos os itens danificados, por exemplo, leve uma sandália ao sapateiro, tire a poeira de livros, compre o produto para tirar a mancha daquela camisa;
  • Reforme e atualize, ou seja, leve aquela saia longa que não usa mais para a costura e faça dela curta, coloque uma nova moldura naquele espelho que estava perdido atrás das caixas e pendure-o;
  • Devolva o que não for seu. Lembra aquele livro que te emprestaram? E daquele casaco que esqueceram na sua casa? É tempo do objeto voltar a ser útil com o próprio dono.
  • Deixe tudo em perfeito estado. É hora de achar as tampas das caixas, definir as toalhas velhas que vão virar pano de chão, separar para lavar o chão aqueles sabonetes de hotel que você nunca irá usar, decorar vasos com as fitas de presente espalhadas pela casa e por aí vai. Só mantenha o que funciona e pode ser usado quando precisar.

3. Descartando cacarecos

  • Observe a quantidade que sobrou de objetos úteis e em bom estado. Pondere se serão realmente usados ou consumidos antes da data de validade. Alguns cosméticos, tintas, remédios e alimentos tendem a expirar e estragar antes do que imaginamos.
  • Reflita também quanto tempo devem durar roupas de praia, cujo elástico esgarça com o tempo. Não será mais sensato se desfazer de algumas peças?
  • Doe ou venda o excesso imediatamente (leve a um bazar, brechó ou anuncie na OLX e Facebook). Deixar pra depois este passo é perder todo seu progresso até agora. Não se boicote.

4. Armazenando o que ficou

  • Experimente colocar os itens que usa com frequência em locais pré-determinados e práticos;
  • Armazene o excesso dos mesmos itens (que você preferiu não descartar) em uma espécie de depósito, que pode ser uma caixa, uma gaveta ou uma prateleira específica. Assim, antes de comprar algo novo, você pode rever facilmente se já possui o item. Por exemplo, separe algumas taças para uso na cozinha e guarde algumas extras numa prateleira que você não acessa com frequência. Quando alguma daquelas taças quebrar, você busca no “depósito” uma nova para reposição.

Agrupar, selecionar, descartar e armazenar: quatro simples passos que você pode dar agora para ter uma rotina mais leve.

Uma vida livre de cacarecos tem espaço para mais alegria e produtividade. Ocupe seu tempo com o que te faz feliz.

De que tralha você vai se livrar hoje?

Quer ler mais sobre organizar? Clique e aprenda sobre Marie Kondo e seu famoso método de arrumação.

Publicado originalmente LinkedIn