Só um remedinho…

Há algum tempo escolhi mudar coisas da minha vida que não refletiam o que eu sentia sobre a vida, uma delas a minha relação com os remédios. Sabe aquele remedinho para a cólica? Não tomo. Aquele outro para indigestão? Também não tomo. E aquele para gripe? Não! São alguns remedinhos que parecem bobos, e que há alguns anos eu aceitava tomar. Até que um dia parei com todos, não fazia sentido deixar meu corpo com aquelas químicas e os demais efeitos até porque muita coisa pode ser resolvida com descanso, algumas ervas, óleos essenciais e consciência do processo interno.

Mas então, numa viagem, interior de Minas Gerais... estradas de terra... cheias de curvas... cheia de muitas curvas... um enjoo fenomenal. Pensei, só um remedinho dessa vez. Ou 3 remedinhos.

No primeiro comprimido dormi mal, acordei estranha no outro dia, mas sobrevivi à estrada. Mal estar, desconforto... Devia ser só cansaço das longas 18h de viagem... tsc.

A decisão do segundo comprimido veio após uma hora de estrada curvilínea, resolvi que um remedinho ajudaria, mas me forcei ficar acordada. Queria saber exatamente o que aquilo estava fazendo com meu corpo. Comecei a sentir algo primeiro no cérebro. Sentia como se algo cortasse as conexões. Olhava para meu estômago absolutamente embrulhado e via que o cérebro não processava a informação, a conexão do que se passava no meu estômago e no meu cérebro pareça cortada. Uau! Sempre achei que o remédio pudesse evitar o enjoo, mas não, ele apenas fazia meu cérebro não registrar a informação e assim fingir que estava tudo bem. Dormi (mal). E no dia seguinte... deprimida, desconectada, nada parecia importar ou fazer sentido. O mundo estava cinza, a vida estava cinza. Eu estava absolutamente desconectada. Estava no lugar que eu queria estar, com as pessoas que queria, no meio da natureza, fazendo algo que amo e... eu não sentia nada. Após uma manhã horrorosa, conversei com uma pessoa que receitou umas tinturas e algumas gotas depois o mundo voltou a ter cor e sentido!

Decidida a nunca mais tomar nada depois de me tornar consciente de como aquilo operava no meu corpo e emoções... peguei a estrada alguns dias depois e após 1h de curvas a decisão foi pelo ralo. Só mais um remedinho... mais 18h de viagem mal dormidas. Chegando em casa, vendo tudo cinza pensei: "isso é apenas o cansaço", mas não dá para ignorar os sinais. A mesma desconexão, o mesmo vazio, a falta de sentido em tudo estava lá. Dessa vez outras plantinhas, as que eu tinha acesso, ajudaram. Demorou mais tempo, mas ficou o alerta.

Todos os dias as pessoas tomam inúmeros remedinhos "acreditando na sua inocência", que não vão fazer "muito" mal, afinal é só um remedinho, mas a cada remedinho elas forçam a desconexão dos seus sistemas. Suas almas, suas emoções, suas verdadeiras vontades desaparecem. Tudo fica meio cinzento e não existe força para ir em direção ao que é verdadeiro. Só um remedinho...

Se um químico é capaz de desconectar coisas no corpo físico, bloquear, acelerar, atrasar, o que quer que seja, ele fará o mesmo em outras partes do ser (emocional, mental, energético). Agora imagine milhões de pessoas tomando diariamente só um ou alguns remedinhos... junte isso aos agrotóxicos, transgênicos, remédios ingeridos pela alimentação, compostos ingeridos pela água, poluição, remedinhos para curar o efeito de outro remedinho... E assim se vai a empatia, a cor da vida, a saúde em todos os níveis, a conexão com as coisas...

Era só um remedinho alguém disse...