Eco

Queria conseguir escrever
sobre tudo que calo
sobre tudo que me cala
sobre tudo que já foi calado
mas a sonoridade do silêncio não ecoa
nem nas esquinas da consciência mais pura
ou vazia
não há vácuo que possa ser preenchido pelo que cala
e não há silêncio que possa ser preenchido por ecos vazios

se a consciência não faz com que temer
então a que silêncio teme?
que grito estridente é esse que bate em todas as paredes da casa
e não emite som algum?
que estrondo é esse vazio de eco
que não entende o motivo de calar?

se o som chega até a garganta e em seguida recua em silêncio
esse tal som existe?
esse refluxo vocal
causa algum pensamento?
essa vibração no canto do ouvido
de fato vibra?

não há conclusão sonora
não há pensamento audível
quando o barulho do pensamento calado
se faz em eco silencioso

e cabe ao coração trabalhar
o que o ouvido não diz ouvir.

Post original: https://camilaguidelli.wordpress.com/2015/12/07/60-eco/