Uso medicinal da maconha: a discussão em um livro-reportagem

Por: Camila Moreira

Maconha, ou as drogas como um todo, são temas que causam controvérsia e mostram que há certo desconhecimento sobre a questão, que levam a sociedade a pensa-la como um mal, ou como é passado pela mídia e pelo senso comum, um problema individual.

No Brasil, há a ausência de informações e dados estatísticos sobre o tema, pois as pesquisas não são feitas regularmente, o que ajuda no discurso de proibição e da guerra às drogas, causando certo terror nas zonas onde o uso é mais concentrado e deixando a informação de lado.

Na cidade de Salto, interior de São Paulo, os alunos do curso de jornalismo do CEUNSP (Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio), Fábio Duran e Joana Maria, fizeram o seu trabalho de conclusão de curso (TCC) sobre a maconha e o seu uso medicinal. “ estávamos pensando no tema ‘drogas’ desde o final de 2015, gostamos de abordar temas considerados ‘polêmicos’, e no caso da maconha é ainda mais delicado, justamente pelo viés medicinal.”

O resultado deste trabalho foi o livro Reféns: Quando o preconceito vence a medicina, que se aprofunda no uso da cannabis sativa na medicina e traz relatos que tiveram como base matérias publicadas em revistas, jornais, portais de notícias, palestras, filmes, livros e estudos, além de entrevistas exclusivas. “Viajamos até o sul do País para entrevistar um antropólogo que publicou um livro sobre o cultivo de cannabis e estava criando uma Associação, e um gastrônomo que produz o óleo de cannabis ilegalmente”.

A editora Schoba possui o direito de edição, publicação, divulgação e comercialização da obra, afirmando que “Embora seja uma obra ligada ao setor acadêmico, o fato de ser um livro-reportagem a torna mais palatável ao púbico em geral”.


O livro foi exposto na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, que ocorreu entre os dias 31 de agosto e 10