Problemas

Os dias passam e sinto que cada vez me fecho mais dentro de mim mesma. Todas as tentativas de me expor terminam frustradas. As vezes, penso ter sérios problemas de expressão. No fim, acabo assim, trancafiada em mim, geralmente aos prantos. É difícil porque sinto ter tanto a dizer. Frustro-me com minha própria incapacidade. As ideias fervilham e eu mal consigo coloca-las em ordem. Isso quando elas não são interpretadas erroneamente — o que é mais triste ainda, eu diria. Vivo com aquela sensação de um bebê que chora, grita e ninguém entende — pelo contrário, só torna a situação mais irritante. Triste porque nem bebê mais sou e nem lembro, na verdade, dessas situações. Como podem ver — devo ter sérios problemas. No meio desse turbilhão de pensamentos, escrever ainda libera sua dose de morfina em meu sangue. Me liberta, mesmo que por tempo determinado. E, como sabemos, a dose só tende a aumentar. Um vício. Respiro fundo. Começo outra vez.