Encontrei a página lisa. A impossibilidade de escrever está posta, quero que esteja escrito mesmo antes de escrever.

Quero a palavra que não existe porque não consigo esperar. Fico me perguntando o sentido de descrever pensamentos num papel se eles já estão na minha cabeça.

Qual o sentido se não posso descrever o sentimento todo, todas as nuances? Quanta arrogância.

E no entanto gostaria de fazer um inventário das coisas que penso. Taxonomia das relações, com alguma distância.

Empalhar os pensamentos pra olhar de fora. Separar por cor, ordem alfabética, regras de publicação.

Quando chegar o desespero saber qual prateleira recorrer. Já não aguento imaterialidade, abstração. O olhar perdido de tédio enquanto dentro é tanto.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Camila Pizzolotto’s story.