Firmeza

Diante do status quo, das demandas externas, das influências sociais, das modas, propagandas, ofertas e promoções, dos imprevistos cotidianos, dos encontros inesperados — corremos o risco de nos envolvermos e nos deixarmos levar, esquecendo de para onde estávamos indo, até de quem somos e queríamos ser.

Quando refletimos e selecionamos valores, práticas e hábitos contraculturais, os quais consideramos coerentes entre si, engrandecedores e benéficos, precisamos de firmeza para não abandoná-los na primeira distração… Descobri que pequenos rituais podem facilitar esse processo, compartilho abaixo sem deixar de incentivar que criem outros:

1- Transformar uma pulseira / um cordão num lembrete. Exemplo: Toda vez que eu olhar para esta pulseira, vou lembrar de que tenho a intuição para me guiar;
2- Transformar a água num lembrete. Exemplo: Toda vez que eu olhar para a água, vou lembrar de voltar a atenção para a minha respiração;
3- Transformar os espelhos em lembretes. Exemplo: Toda vez que eu me olhar no espelho, vou lembrar das minhas qualidades e capacidades que independem de comportamentos alheios;
4- Transformar as refeições em lembretes. Exemplo: Toda vez que eu me alimentar, vou lembrar da minha interdependência e sentir gratidão por todos os seres que possibilitam minha existência neste planeta;

São pequenas escolhas que podem servir como salva-vidas e/ou pouco a pouco nos levar a estar no mundo com mais atenção, sensibilidade, presença, clareza, equilíbrio, celebração… Aspiro que sigamos firmes, por todas as nossas relações!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.