NÃO DEU, DONA MARIA!

Bem que se tentou, as pessoas foram as ruas, gritaram, mas o sistema, a imprensa, o poderio econômico é tão forte que cansou e calou as massas, dona Maria. A gente explicou para eles que seu esposo não tem estudo, que a senhora levanta as 4 da manhã desde os 11 anos para tirar leite, quebrando a geada com os pés, que seu Zé trabalha na fazenda do nho Lau a muitos anos e vocês não tem sequer uma casa de alvenaria. O banheiro? A gente contou que foi o MAP no tempo de Lula quem fez, senão nem banheiro tinha, né Dona Maria? Mas não teve jeito. Eles acham que a senhora sofreu foi é pouco. Acham que seu Zé não tem mesmo direito a nada depois de dedicar uma vida inteira ao patrão, e sentimos muito, mas é pro olho da rua que vocês deverão ir nos próximos dias, dona Maria. O compromisso deles não é com as Marias desse Brasil, é com os bancos, com quem vive de investimento com dinheiro alheio, de especulação financeira, de agiotagem... Hoje, dona Maria, incendiaram com seus direitos e com o futuro da sua família, mas sabe o que mais chamou atenção? Três mulheres que sentaram na mesa como última tentativa desesperada de impedir mais esse golpe contra o povo trabalhador. Achou mesmo que eles iam se escandalizar com sua história, dona Maria? Sabe de nada! No fundo, nem tão fundo assim, eles querem que eu, a senhora e todos os trabalhadores, se explodam.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Patrick M. R. Canterville’s story.