Barbárie à Brasileira

Estamos vivendo tempos muito perigosos, que podem levar o Brasil à uma barbárie sem precedente. Temos um candidato a presidente, cuja candidatura foi gestada dentro de núcleos neo nazistas brasileiros, ao se identificarem com o discurso e postura do candidato.

A democracia é, na sua essência, a igualdade e o livre direito de representação, desta forma qualquer um pode se sentir representado e lançar e/ou apoiar o candidato com o qual se identifica, confia e acredita. Nesta premissa o candidato dos neo nazistas se tornou real, continuando com seu discurso de ódio, racista, xenófobo e preconceituoso.

Logo, encontrando mais eleitores, que com ele se identificam, que como ele pensam, que como ele falam, e em nome dele agem. Agem como gangues, agem como uma máfia, agem como grupos que lembram a Klu Klux Klan, ou os nazistas, agredindo a todos que pensam diferente ou que se enquadram em seus modelos preconceituosos, muitas vezes são agressões físicas.

Além dos crimes cometidos frequentemente na Internet pelos seguidores do candidato, a intimidação saiu da rede e ganhou as ruas, e atacam deliberadamente e belicosamente, grupos de outros candidatos, negros, gays, feministas, nordestinos, e todos que identificam como inimigos.

Se não houvesse a conivência da justiça, da mídia e do próprio candidato, tal movimento proto fascista não cresceria, mas esta crescendo, e muito, e este é o problema.

Imagine que independente do resultado destas eleições, teremos sérios episódios de barbárie, se o opositor deste candidato ganhar, a barbárie de será em vingança, e cabe às instituições democráticas e ao próprio ganhador do pleito, opor-se a isto com veemência, apurando e agindo com o rigor da lei. Se o candidato dos proto fascistas ganhar, os bárbaros se sentirão representados, e provavelmente escalarão em suas ações nos levando a uma guerra civil, e sabe-se lá onde isto vai parar.

Tomara que eu esteja errado, tomara!