Sou o que és

É aqui dentro que habitam
os deuses criadores da vida
os monstros propulsores da guerra
assim como sob a minha pele
correm os infinitos ciclos
de vida, morte e ressurreição:
a terra fértil pra sonhos viçosos
verdades podres e noções maduras

por dentro aquilo que anima a carne: 
a vigorosa ânsia de existir
e os poderes de uma madrugada
vivendo à sombra desses meus cabelos

A natureza se fazendo em mim:
deusa senciente e coisa inanimada
o animal uivante que respira
portando as cicatrizes da memória

Sou o que és — somos muitos
cantam em mim os anjos e os demônios
com eles compartilho meus anseios
e neles reinvento minha história

Sou o que és — somos tantos
somos palavras que se tornam corpos
mostramos garras diante de ameaças
e lábios ternos pra curar feridas.

Carla Carrion