O público, o privado e o comum — Parte 2

Espaços publicizáveis

A praça é pública, mas de um jeito diferente da universidade, que também é.
A casa é privada, mas de um jeito diferente do boteco do Zé, que também é.
O que publiciza um espaço é a forma como ele é usado, como é viabilizado e como é conectado a outros espaços. 
Cada vez mais espaços privados têm se aberto à publicização nesses três sentidos: 
No sentido de se prestarem ao uso público, abrigando temporariamente iniciativas de pessoas que não são proprietárias mas que ali podem realizar atividades diversas.
No sentido de serem viabilizados por seu público, recebendo doações, reparos ou outros tipos de apoio.
No sentido de abrirem-se à rua, à praça e aos outros espaços públicos do entorno, diminuindo a altura de seus muros, abrindo suas portas, saindo e deixando entrar.
De novos hábitos também derivam outros mundos.

_________________________________________

Carla Ferro é autora, tradutora e conversadora. Disponibiliza seu trabalho sem olhar a quem. Recebe contribuições anônimas.

Se este texto lhe serviu, veja como apoiar outros trabalhos de Carla Ferro no grupo “Na orla — criações incidentais” no Facebook: https://www.facebook.com/groups/214212105584854/?fref=ts

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.