Sobre o amor ao passar os anos…

É muito engraçado como os anos vão passando e nossas visões do amor vão mudando…Acabei de fazer 27 anos, como eu digo por ai, o famoso "semi trinta" (sim,porque se pararmos pra pensar estou mais perto dos 30 dos que dos 20 rs), e digo com todas as letras: MINHA VISÃO DE AMOR MUDOU DRASTICAMENTE…. Fiz um balanço da minha vida amorosa no meu aniversário, balanço mesmo porque me comprometi a passar a virada das 23hrs para a meia noite sozinha em casa, com uma cerveja na mão apenas pra refletir sobre tudo, aproveitando que tinha acabado de virar o ano e que eu tinha acabado um relacionamento que me destruiu em doses homeopáticas por 2 meses.

Sempre acreditei no príncipe encantado, naquele amor de novela mexicana do SBT, aquele sentimento único que faz a gente suspirar pelos cantos, sorrir a toa, dar bom dia pro padeiro e enfrentar o mundo, até levar um tapa na cara da vida… Tive quatro namoros longos, na verdade sempre namorei, sou daquelas eternas românticas que mesmo quando não dá certo não desiste de acreditar que sempre tem aquela pessoa guardada pra você e todos os outros que passam são apenas pontes até o destino final, mas meu último relacionamento me fez mudar completamente o que eu entendia sobre o amor… Esse texto não é um desabafo, mas acho que todo mundo quando passa por um momento de descrença amorosa coloca culpa em Deus, na astrologia, no destino, na gordura localizada, na amiga do trabalho, menos nos fatos, que geralmente são os motivos que devemos nos apegar para nos reerguemos, tirarmos uma lição e seguirmos em frente.

Pois é, eu fiz MUITO isso durante o fim do meu relacionamento, digo fim porque foi um fim que durou muito, meses, já tinhamos terminado sem ao menos saber, e eu por um bom tempo me culpei, culpei o mundo, pra não encarar os fatos e aceitar que não era ali que eu deveria ficar, ai vocês ficam na dúvida, mas não é sobre amor esse texto? SIM!! É sobre amor, justamente, porque teve MUITOOOO amor, amor pra dar, vender, emprestar, alugar, porém descobri após 27 anos que isso não basta. Foi frustrante, ainda mais pra mim romântica de alma e coração, tentei mudar meu jeito de ser pra dar certo, procurar respostas em livros, ouvir especialistas, até mapa astral recorri, mas foi necessário ser assim pra eu entender o real sentido e significado desse sentimento na minha vida.

Nós tínhamos TUDO pra dar certo, nascemos no mesmo dia, as famílias se amavam, senso de humor parecido, e sim, muitas vezes a gente se olhava e falava: "como a gente se basta né?", ele era o tipo cabeça dura que me desafiava diariamente a ser alguém melhor (ou diferente não sei rs), dançávamos no banheiro sozinhos em pleno sábado a noite, me mostrou um mundo completamente diferente do que eu imaginava, e eu no fundo, sabia que as nossas diferenças, meu jeito louco e alegre de ser fazia o " menino" dentro dele se sentir mais vivo, mas sim, o amor tem o outro lado, o lado da cobrança, o lado da paciência, o lado de enxergar o outro, entender as necessidades do outro e fazer delas as suas também, e isso minha gente, é um exercício DIÁRIO, caso contrário não há amor que aguente, e afirmo isso com toda convicção, pois o meu não aguentou. Não vou escrever os motivos porque isso viraria uma lavagem de roupa suja, minha intenção na verdade é mostrar que amor idealizado não existe, o amor é lindo sim, mas é muito duro também, pois temos que saber lidar com um sentimento grande que pode nos trazer tanto alegrias infinitas quanto marcas eternas.

Eu amei muito, e fui muito amada com toda certeza do mundo, mas amor exige maturidade e visão, visão que eu digo é visão mesmo, é enxergar o outro, ceder pelo outro, muitas vezes abrir mão de convicções que você sempre acreditou pelo bem outro, pelo bem da relação, e isso não é ser "pau mandado" como muitas vezes eu ouvi, isso é se reinventar, se reinventar pelo amor é a melhor coisa do mundo, é você saber que seu " update "está contribuindo para manter um sentimento maravilhoso que muitas pessoas passam pela vida sem sentir. E eu só de ter sentido após 3 tentativas de relacionamento frustradas, me sinto uma privilegiada e serei eternamente grata a essa pessoa que me proporcionou esse sentimento tão incrível, e no fim, o que levamos do amor é isso, GRATIDÃO , fim que eu digo é o fim do relacionamento porque acredito que amor não acaba, se transforma, e o meu se transformou em um agradecimento eterno apesar das tantas mágoas que me rendeu, porém fez com que eu visse que nem sempre o amor da sua vida, será o homem da sua vida (por sinal, ele me falou isso em uma tentativa frustrada de me convencer a não tentar mais). Quando falo dele para as pessoas eu afirmo que hoje, devido a tudo que passei e senti estou lapidada e pronta para ter o relacionamento que eu sempre imaginei, porque ele quis tanto me mudar que eu acabei mudando inclusive para uma pessoa que não se via mais com ele, porque quem ama NÃO tenta mudar o outro, apenas ama.

Aqui vai a conclusão que cheguei após meu balanço emocional:

O amor da sua vida vai te mostrar como é viver esse sentimento louco, sentir isso, como é desejar estar todos os dias ao lado de alguém mesmo trancado em casa vendo Netflix com pipoca, vai mostrar que vale a pena chorar uma noite inteira esperando uma mensagem porque no dia seguinte vai bater na sua porta te pedindo desculpas e te amando ainda mais, vai te render noites em claro, frio na barriga, ansiedade. O homem da sua vida, vai te mostrar que é ali que você deve ficar, que ali é o teu lar, tua segurança, que defeitos todos temos mas o sentimento e a vontade de construir um pilar pra relação é muito maior, não vai querer te mudar porque te aceita exatamente como você é, vai abraçar sua causa, pegar o pacote completo, não vai ter medos ou inseguranças e vai deixar claro todos os dias o quão incrível você é, vai fazer planos de um futuro e honra-los diariamente sem por em dúvida qualquer um deles. Aí vem a questão, mas qual a diferença entre os dois? A diferença parece ser mínima, mas existe e é importante: você pode casar com o homem da sua vida, amá-lo incondicionalmente, mas aquele amor da sua vida, que você conheceu há algum tempo atrás, que te rendia noites em claro, impaciência, estará sempre ali, naquele cantinho da memória que trancamos com chave e jogamos fora pra nunca mais sair, se fazendo presente apenas em memória e nada mais, mas na vida precisamos de estabilidade emocional, porque muitas pessoas não pensam, mas após algum tempo com alguém, quando a idade e responsabilidades chegam, o que mais precisamos é segurança e parceria, a famosa paz, que muitas vezes só o homem das nossas vidas nos dá. Não estou falando em não amar o homem que escolhermos para a vida, mas amar de forma madura, sem aquela loucura que só faz bem aos vinte e poucos anos, mas que a longo prazo pode vir a se transformar em uma instabilidade eterna.

Por isso quem amou muito, se frustrou, e acha que só porque amou loucamente uma vez nunca mais vai ser feliz de novo, nunca mais vai amar daquele jeito de novo: SIM, VOCÊ ESTÁ CERTO!! Amor nunca é igual, faz um balanço da sua vida também e veja quantas vezes você amou, achou que amou, achou que não amaria nunca mais porém sempre foi de uma maneira diferente.

Sendo assim, LEVANTA, SACODE A POEIRA E DÁ A VOLTA POR CIMA! Porque esse mundo é lindo, cheio de gente e de amores, e sua outra metade com certeza está ai atravessando pontes pra chegar até você. E em relação a dor só temos duas opções: ou nos agarramos nela, de conchinha em um domingo chuvoso e ficamos chorando tentando entender o porque acabou, o porque isso aconteceu com você, ou tiramos proveito de tudo que te levou a esse sentimento, absorvemos o aprendizado e tocamos em frente, e eu GARANTO, a segunda opção é incrivelmente melhor e mais satisfatória.

Vem 2016, porque aqui o amor reina e a tristeza é extinta!!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.