Corrosão

O pior tipo de corrosão é a que acontece de dentro para fora, depois de exposta, se dissemina tal qual um vírus, mas sem a sua função natural de perpetuação. Mas que envolve cada vítima em correntes do desespero imediato e corrupto. Quando essas correntes escravizam suas sinapses, você acaba se resumindo em mais uma massa de matéria sem sentido com visões turvas e nebulosas. Alguém com a existência errônea o suficiente para repetir os mesmos vícios em looping até gradualmente ter tudo o que era glorioso apagado do seu antigo eu. Depois vem a necessidade de engrandecer e louvar cada forma que a corrosão toma, numa caracterização de falsos “ídolos” do nosso tempo. A vítima estará resumida numa carcaça sem sentido, apenas espalhando mais sua névoa tóxica em atos pré-programados, com a fagulha que clama por libertação no seu interior esgotando sem misericórdia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.