Usando as desculpas para nos fazer agir.

Tá anotado, eu juro. Tenho uma lista com milhões destas coisas chamadas “responsabilidades” guardadas na lista de prioridade.

Começar a fazer, sempre é a parte mais difícil, pois existe um milhão de outras coisas não tão necessárias, porem legais.

É eu sei que tudo isso é culpa minha. Que a lista de quatro linhas virou dezesseis. Que as prioridades são irremediáveis, que deixar pra depois é homicídio para tudo aquilo que deve ser feito.

Porem, hoje é um daqueles dias que o café ficou mais forte, a cadeira estava mais confortável e o jornal amanheceu dizendo que é dia de sol e brisa leve.

Tá, eu sei que estas desculpas não são o suficientes para te fazer agir, porem ficar a par também não. E analisando que todas as vezes em que você procrastinou foi por motivos mundanos, ter eles para te fazer sair do lugar é uma boa forma de mudar a maneira de se ver as coisas. Afinal, as péssimas desculpas sempre foram as melhores para te levar a algum lugar.