Nunca soube ser, esse verbo amaldiçoado desde o princípio quando fez-se a luz e tudo acabou sendo esse caos, esse amaranhado de pessoas que se buscam e se afastam, essa confusão de água, terra, ar, fogo, eu, minha vida tão escorregadia, meus pés doendo nesse chão que nem sei pra onde vai, as malditas escolhas que fiz e me trouxeram pra cá, pra essa cidade infernal, entulhada de gente vazia e estranha. Eu não vivo, eu tento loucamente.
Depois da festa
Magnolia
343

Lindo demais!