Quis me falar sobre memes e virais… logo eu, social media.

Virais e seus engajamentos, memes e sua viralizações. É engraçado parar para entender como todos os memes e virais começam. Muitas empresas não procuram saber como se dá a origem deles, e é aí que nós, profissionais, começamos a ouvir: “você deveria criar algo assim” ou, “por que você não cria um meme para nossa empresa?”. Bom, sabemos que não é bem assim, né?

Primeiro precisamos saber diferenciar um viral de um meme. É, eles não são a mesma coisa!

Um viral é, como o próprio nome diz, aquilo que se espalha rapidamente, alcançando um grande número de pessoas. O viral é uma replicação de um conteúdo original, utilizando comentários e percepções de pessoas. Independentemente dos comentários, não é produzido um novo conteúdo sobre o tema.

Já o meme é algo que já viralizou (ou já existiu) sendo recriado ou imitado de uma nova forma. São elementos de características comuns que, além de se espalhar, ganham outras versões diferentes da original, sempre carregando sentidos e referências.

Além disso, é possível um viral se tornar um meme. Quando algo é divulgado e ganha um grande engajamento, ele é viral. A partir do momento em que pessoas começam a modificar o conteúdo original de acordo com a mensagem que elas querem passar, o viral acaba se tornando um meme. Então, tanto memes quanto virais apresentam características em comum, mas se diferenciam em suas formas de produção.

Agora que já sabemos as diferenças, vale lembrar que criar um meme ou um viral muitas vezes não é o objetivo da criação! Vamos parar para pensar?

Será que o meme da Inês Brasil foi pensado em ser feito daquela forma para ter a grande proporção que ganhou? E a Carreta Furacão? Pois é, como esses casos, muitos outros nem tinham intenções e nem a real noção do que iriam se transformar. Os virais e os memes muitas vezes ganham essa proporção por simplesmente ser algo espontâneo, e não por parecer que uma pessoa ficou horas e horas analisando como podia fazer algo para viralizar.

E é isso que as empresas precisam entender: viralizar ou torná-las um meme é algo que você não planeja e muitas vezes não cria com esse objetivo. E, mesmo que minha intenção fosse criar um meme, eu não teria como dar certeza se ele vai viralizar. Não tem como saber se vai dar certo, simplesmente acontece.

Bom, agora vamos analisar isso como estratégia digital. Se me perguntassem o que eu acho sobre aproveitar esses memes/virais para gerar conteúdos para empresas, eu responderia que tudo depende muito do mercado, do negócio, do jeito que a marca se comunica e, principalmente, do público.

Para muitas empresas, é uma grande oportunidade pois nada é melhor que um momento descontraído para fazer sua marca ser vista, mostrando um lado mais humano e real. Porém, temos que compreender o perfil da marca para saber se há essa liberdade de interação e entender que muitas empresas não têm essa ideia em seu propósito e nem em sua comunicação. Isso faz com que seu público não entenda a mudança de uma hora pra outra e nem entenda a mensagem que você quis passar com aquilo. Para empresas que prezam a seriedade, por exemplo, se comportar de forma mais informal não faz sentido.

Por isso, a minha dica é analisar bem tudo o que citei acima antes de se aproveitar desses memes, para que isso não vire algo negativo ao invés de positivo. Fazer por fazer, só pra não ficar fora da brincadeira, não é a melhor maneira de aproveitar essas oportunidades.

É isso, gente! Vamos aguardar os próximos virais e os novos memes em que eles poderão se transformar.

Beijo ;)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.