Pq q tu tá nessa?

Quando eu entendi que não tinha controle da minha vida

Durante muito tempo eu reclamei do rumo que minha vida tomou. Eu rezava para que alguma coisa acontecesse e sacudisse tudo. Que fosse um emprego novo, um amigo, um namorado. Qualquer coisa que me tirasse de onde eu estava. Eu esperava de Deus uma salvação divina, um milagre.

E nunca fui ouvida, por isso me sentia frustrada. Puta da vida com Deus!

De alguma forma, os romances reforçam essa ideia equivocada na gente. Os filmes com frequência retratam histórias de heróis “escolhidos” pelo destino, moças que se tornam princesas depois de serem “escolhidas” por um príncipe.

Seria O Destino implacável? O grande transformador de vidas?

Eu só queria ser “a escolhida”.

Só que na minha vida, aparentemente, o meu destino era viver aquela mesmice para sempre.

Eu perguntava para Deus: foi esse destino que você separou para mim? Que saco heim! E Ele continuava me ignorando.

Na verdade, eu era uma preguiçosa que inventava desculpas e culpava outros pelo meu “fracasso”. Foi preciso entrar numa deprê para entender que a minha vida é minha responsabilidade.

A única pessoa que Deus podia mandar para me salvar era eu! Se eu quero resultados diferentes na minha vida eu preciso agir diferente. EU preciso mudar! Tão simples!

Por que você continua aí parado?
Like what you read? Give Carolina Cunha a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.