Você se considera um humano em transição?

Recalcular a rota de sua vida profissional para que ela seja mais coerente com seus valores e manifeste sua verdade mais interna é revisitar a vida como um todo. É rever-se por completo, da rotina às companhias, passando pelos desejos e crenças. É mudar muito. É ter coragem de revisitar sua própria identidade. É ter coragem de se desapegar de quem você foi. É desestruturar-se para se reestruturar. Se reconectar com que você verdadeiramente é demanda muita coragem. É desafiador. Porque não há um caminho específico a ser seguido. O norte está dentro e só você tem sua própria bússola.

Nos sentimos sozinhos, desnorteados, malucos, estranhos no ninho, sem termos com quem conversar. Mesmo em meio a clareza interna que nos diz para seguir, nos sentimos julgados, enfraquecidos, incompreendidos. Amigos e familiares até tentam, mas seus conselhos por vezes mais atrapalham do que ajudam. Até porque ter respostas não é necessariamente o que estamos buscando.

As perguntas nos movem.

As respostas vêm como consequência de sabermos o que perguntar.

O não-saber faz parte do processo.

O vazio esconde uma riqueza surpreendente.

E isso pode ser difícil de compreender.

Precisamos de apoio, de silêncio, de escuta, de abraço, de empatia. Precisamos saber que não estamos sozinhos. Que nossas perguntas podem, sim, mudar o mundo. Precisamos nos encontrar com outros vorazes pela Vida. Precisamos nos alimentar de conexão real. Precisamos de um espaço onde possamos ser quem somos.

Estar entre outros perguntadores em transição é fortalecedor.

O Teia nasceu a partir da percepção da potência que é reunir humanos em transição.

O Teia é uma série de encontros mensais que em si, funcionam como uma rede de apoio que tece esse mundo mais cuidadoso, mais humano, mais sustentável.

Pra você saber que está acompanhado, que está lúcido, muito lúcido. Pra você seguir sustentando esse pulsar interno que inexplicavelmente te leva a sustentar o “não-saber” com confiança. Pra ser apoiado a não voltar pro comum. Pra você seguir vivo em si, entre outros vivos em si.

Você pode vir em todos os encontros ou em só um. Você pode vir a um e sentir como ele ressoa em você. Você pode oferecer financeiramente o que sente que pode oferecer. Esse é um espaço livre, pra você poder SER.

Haverá pessoas. Haverá roda. Haverá diálogo. Haverá um tema específico a cada encontro.

Eu estarei lá anfitriando o encontro e fazendo propostas a partir do que emergir do grupo formado. Seremos todos escutadores e faladores, cuidadores e cuidados, afetuosos e afetados.

O primeiro encontro será dia 11/04, em Laranjeiras (Rio), com o tema “propósito e dinheiro: como equilibrar?

A contribuição é espontânea, em dinheiro. Você oferece um valor que sinta ser equilibrado entre o dar e o receber, dentro de suas possibilidades. Se puder trazer comidinhas pra compartilhar, ótimo!

INFOS:

Data: 11/04, de 19h as 22hs

Local: Laranjeiras (endereço a ser enviado para os inscritos)

Valor: contribuição espontânea

Comidinhas bem vindas ❤

Inscrições aqui

Dúvidas através do e-mail teia@casasoul.com.br

Like what you read? Give Carolina Bergier a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.