e arrepia o pelo da nuca*

porque me tem fácil demais. 
sabe quando da nos nervos
que chega a ferver a pele, 
o corpo,
os órgãos todim, 
que chega no coração 
e se esparrama. 
chega a doer de nervoso 
a saudade absurda 
de quando eu quero te pegar e…
só pegar 
e abraçar 
e cheirar 
e te sentir 
perto de mim. 
só por estar perto. 
chega a ficar esquisito o olho,
porque ele enche 
e eu paro de enxergar por um tempo 
e aí dá mais nervoso. 
arrepia os pelos do corpo. 
da cabeça aos pés. 
clichê.
arrepiam os braços, 
o rosto, 
as pernas…
dentro das pernas. 
que sobra de falta 
que faz te ter perto de mim 
mesmo quando você tá longe. 
mesmo quando sempre esteve longe. 
te some de mim de uma vez. 
ou fica mais perto, 
só pra saudade diminuir um pouco 
e amanha ela já tiver mais acomodada.

*ps: Lenine me emprestou o título.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Carolina Sanches’s story.