Não adianta

(Escrito em 09/05/2017)

Não adianta vir com promessas vazias, não adianta vir com presentes, não adianta vir com poemas entupidos de provocações, não adianta. Não adianta ser educado, querido e amigável, com o coração cheio de segundas intenções. Não adianta estender a mão como quem se importa, se não for de verdade. Não adianta chamar pra sair se tudo o que você quer são 5 minutos no banco de trás do seu carro. Não adianta pressionar, insistir para que as coisas se agilizem e sejam feitas como quer, quando você deixa bem exposto seu interesse falso nos outros. Não adianta fazer por onde, esperando algo em troca.

Essa imagem que você adora passar, não é nada além de uma farsa e sinceramente, vai te levar a várias relações vazias. No fim, você ganha o que recebe. E se nem todas as mulheres que se envolveram com você até hoje não tiveram o jogo de cintura de fugir da sua cilada e dizer “não” — te digo, sinto muito, porque eu não sou como elas e a mim você não engana. Se para você o amor é um jogo, também sinto em lhe informar que você vai jogar essa sozinho. Não adianta ignorar, não adianta ficar bravo, não adianta se rebelar, não adianta bloquear, não adianta fazer cena, não adiantam as indiretas.

Engraçado como foi fácil quebrar seu ego com um simples não. É, as pessoas ouvem ‘não’ na vida, sabia? Não adianta fazer a pose de romântico incorrigível, homão da porra, conquistador das mulheres, se no fim das contas você consegue ser mais imaturo que um adolescente em fase de rebeldia. 
Vê se cresce, e aparece. Porque amor não é brincadeira de criança, e muito menos um jogo de interesses superficiais como os seus.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.