Qual o meu sonho?

Hoje fui num médico homeopata para curar de vez meu olho. Estou com uma inflamação no olho que já dura 1 ano… E na consulta ela fez várias perguntas sobre mim, a Carolina. Como sou, como me sinto, o que tenho feito na vida.

Em algum momento da “entrevista”, eu falei com um grande sorriso que eu amo ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos, descobrir seus dons e potenciais, serem felizes. E isso é verdade, e ok, muito nobre, mas… Voltando para casa, entre uma pedalada e outra parei para pensar, mas qual o MEU sonho? O que ME faz feliz?

E percebi que essas perguntas estão muito alinhadas com meu momento atual. É engraçado, mas agora consigo olhar tudo com mais tranquilidade, o cenário todo. Até 15 dias atrás eu estava um poço de ansiedade, pensando no meu próximo passo, na próxima empreitada. Já cheia de planos e certezas… mas no fundo sabendo que ainda não tinha muita clareza sobre o que fato queria, e que na verdade estava bem confusa.

No meu último texto, compartilhei uma meditação que mexeu muito comigo… e vieram informações que me geraram certas ansiedades. Resolvi então fazer minha revolução solar, e não é que esses astros podem ter razão no que eles dizem para a gente? Rsrs

Eu achei que “eles iam me mandar para campo”, agir, ir para o mundo… Porque era assim que achava que estava me sentindo. E como a gente se auto engana, e como escutamos as coisas como queremos escutar, até distorcendo algumas informações para se encaixarem nas “nossas verdades”, nos nossos desejos. Enfim, existe essa vontade, mas o momento não é esse, o MEU momento não é esse, não é o de ir para fora e sim o contrário.

É momento de me recolher, cuidar de mim, olhar para mim, cuidar do meu mundo. Estou sempre olhando para fora, buscando algo fora, preocupada com o mundo, e agora tenho uma oportunidade ímpar de olhar a fundo para mim, cuidar de verdade de mim.

Percebi que tenho muito ainda o que reconhecer e despertar em mim… E coisas lindas têm acontecido, minha conexão com a espiritualidade está cada vez mais forte, e direta. E até nisso estou aprendendo a olhar para dentro, o mestre dentro de mim. As vezes achamos que está fora, nossos mestres, gurus, salvadores, iluminados… Ilusão. Está tudo dentro. O louco é que sei disso, mas s vezes nossa autoestima é tão baixa, nossas inseguranças tão altas, que por algum motivo continuamos nossa busca no fora, nessa incessante busca, achando que as respostas estão nos, ou com os outros.

E no querer parar de “ver o outro”, resolvi me desconectar do Facebook, estou acessando muito de vez em quando, e quando acesso vejo que realmente não estou perdendo muita coisa. De certa forma, o Face estava me gerando ansiedades… É “tanta gente” fazendo tanta coisa, é tanto assunto, é tanto a fazer, é tanto tanto… que estava me cansando, me esgotando. Já havia um tempinho que estava meio de bronca com o Face, e daí resolvi dar um tempo mesmo nessa relação. Parar de olhar o que estava acontecendo lá fora, e realmente me focar no que está acontecendo aqui dentro. E isso tem me feito um bem danado!

E nesse auto observar, percebi como meu ego está incomodado com essas transformações que vem acontecendo, e como meu mental vem tentando me auto boicotar. Quando percebi isso, comecei a rir sozinha… É claro que ele está incomodado, estou mexendo em muita coisa interna, mudando muita coisa, descobrindo outras tantas, e me reintegrando cada vez mais com minha essência (imagina o que pode vir por aí?! rsrs). E quando percebi esses autos boicotes que estava me fazendo, e que na verdade era medo, resolvi parar de empurrar com a barriga este “relacionamento sério” com meu ego. Tenho um carinho muito grande por ele, mas hoje ele está mais atrapalhando do que ajudando, e como em qualquer relação que já se desgastou, resolvi dar o dead line, que foi hoje. :)

Querem um exemplo do auto boicote? Uma das mudanças que estou fazendo é em relação a minha alimentação, o cuidado com minha saúde, e sempre que me programava para começar minha “vida saudável”, eu me enchia de comida porcaria e assim ia, sempre dizendo que era “despedida”. Ah pára… to querendo enganar quem?

Então fica a dica, e observe se você não tem se auto boicotado também, postergado decisões, apegadx a algumas situações e/ou verdades que já não fazem mais sentido… pode ser seu ego desconfortável com as mudanças que ele anda percebendo que estão acontecendo. E cuidado, porque se você não se tocar, isso pode te tomar um bom tempo de vida. Bate um papo com ele, fala que agora você está num relacionamento sério com sua alma, e que quando ele estiver mais maduro, vocês podem voltar a ser amigos, que ele ainda tem um papel importante na sua vida. ;)

Outra coisa que percebi, foi que no meu processo de auto conhecimento estava olhando para meus medos e sombras de uma forma ainda muito “confortável”, muito “no controle”, e não é esse meu objetivo. Precisamos ter a coragem de mergulhar nesses aspectos, encarar esses monstros, prender a respiração e ir.

E isso tudo para hoje culminar com a “entrevista” do homeopata, onde me peguei falando de sonhos, dons, potenciais… dos outros. E a graça de perceber que agora é focar no eu, meu sonho, meus dons, meus potenciais, e principalmente cuidar de mim. Tem coisa mais linda?

Me sinto grata, a verdade é essa. Grata por ter “aparecido”, uma astróloga para ver meus trânsitos no momento certo, se não provavelmente já estaria fazendo as malas de novo… Grata por estar sendo humilde e obediente em escutar o “conselho dos astros”. Grata por reconhecer e perceber que ia repetir um padrão, e não mergulhar no que é preciso mergulhar. Grata por resolver me dar esse tempo de olhar fundo para mim, sem ansiedades. Por ter escolhido cuidar de mim agora. Por perceber que cada um tem seu tempo, seu momento… não é porque alguns estão fazendo “um monte de coisa”, que eu preciso estar também. Não é porque não estou fazendo algo “uau”, que não esteja fazendo nada. Talvez eu esteja fazendo agora a coisa mais importante que vou fazer nesta minha vida, cuidar de mim.

Então hoje, mais calma e mais centrada, depois de umas boas semanas de caos, eu agradeço essa crise existencial que me acometeu, e acomete. Eu agora te reconheço e te acolho, e espero agora te levar de forma mais leve. Mas… se você resolver me dar uma daquelas sacolejadas de novo, que eu tenha a sabedoria de lembrar que faz parte, é para meu bem, e que vai passar. E mesmo sabendo que poderão ter momentos intensos, que eu consiga levar tudo de uma forma leve e amorosa, até porque se não for assim, não será sustentável. ;)

Meu momento atual? Em relacionamento sério comigo mesma. ❤

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.