A prisão de Eduardo Cunha na mídia da Europa

Pequena curadoria com a cobertura da imprensa europeia

Eduardo Cunha foi levado pela Polícia Federal de Brasília para Curitiba. Foto: André Dusek/Estadão

O ex-deputado Eduardo Cunha foi preso nesta quarta-feira e o caso foi destaque nos principais jornais da Europa. Alguns com mais detalhes do que outros, mas todos se referem a Cunha como o responsável pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Em Portugal, o Diário de Notícias deu destaque ao texto do juiz Sérgio Moro no comunicado sobre a decisão de prender o ex-deputado.

O Público traz mais informações sobre os últimos fatos envolvendo Cunha e ressalta a ligação do ex-deputado com o presidente Michel Temer.

O Expresso diz que os esforços de Cunha para evitar que o processo passasse para a justiça comum não valeram de nada.

Na França, o Le Monde diz que “a queda de Eduardo Cunha continua”.

A agência de notícias francesa AFP diz que Eduardo Cunha é conhecido como o “Frank Underwood” brasileiro.

A comparação com o protagonista da série House of Cards também foi feita pelo britânico The Guardian, que diz ainda que Cunha chegou ao poder “conhecendo os segredos dos outros”.

Na Espanha, o El País se refere a Cunha como o político mais impopular do país. “Maquiavélico, inteligentíssimo, cínico”.

Na Itália, o La Republica diz que hoje a ex-presidente Dilma “pode dar uma boa risada” e que se houvesse novas eleições, “Lula seria o mais votado do primeiro turno com 25%”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.