Histórias de pescador e a descoberta da Beira-Mar de Fortaleza

Livro infantil mistura depoimentos reais e fantasia para narrar as transformações na orla mais famosa da capital cearense

Foto: divulgação projeto Beira-Mar Infantil

Quem melhor para contar a história de algum lugar do que quem viveu toda a vida no local? Ninguém. Com esta certeza, Rachel Garcia foi à fonte. Reuniu cinco pescadores para falar sobre as mudanças que a Rua da Frente sofreu ao longo do tempo até virar a avenida Beira-Mar.

Transformações visíveis a qualquer um que passe por lá. É um mundo sem fim de prédios enormes, luxuosos, hotéis, restaurantes… Com o passar dos anos, não foram só nome e estética que mudaram na Rua da Frente. A identidade local foi destruída.

Em 2011, Rachel lançou o livro Da Rua da Frente à Beira-Mar: histórias de pescador, através da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura. Agora, é com um projeto de financiamento coletivo que a escritora tenta realizar o desejo de lançar o material adaptado para uma versão infantil.

Na versão infantil, o livro, homônimo ao lançado em 2011, apresentará textos de minha autoria, ilustrações de Rafael Limaverde, e disponibilizará, por QR Code, um álbum musical temático de autoria de Daniel Medina e produção de Gustavo Portela. Por extensão, temos ainda a pretensão de disponibilizar um jogo eletrônico interativo com o livro, também por QR Code. Ao fim de tudo, idealizamos realizar o lançamento do livro com show de lançamento do álbum musical e com a participação de alunos de escolas públicas do entorno na Beira-Mar. — Rachel Garcia

As ilustrações são lindas e formam, junto com o texto, o cenário fantástico de uma viagem ao passado. Sofia, Bia, Isaque e Felipi mergulham num álbum de fotos antigas de Seu Francisco, um pescador aposentado, para se aventurar pela antiga Rua da Frente.

A campanha no site Catarse já está no ar e vai até dia 14 de janeiro do ano que vem. É tudo ou nada. Caso a meta não seja atingida, o dinheiro arrecadado volta para os doadores.

A meta mínima será destinada à produção do livro e ao pagamento dos custos administrativos e de divulgação que o projeto precisa ter para conseguir sair do papel. A meta estendida visa pagar os custos com as plataformas Música e Tecnológica. — Rachel Garcia
Imagem: divulgação projeto Beira-Mar Infantil

Que tal? Vale ajudar a botar pra frente essa ideia?

Você pode acompanhar o andamento do projeto pelos perfis no Facebook e no Instagram. Outros contatos:

Rachel Garcia — rachel25garcia@yahoo.com.br

Herbênya Alves — herbenya@yahoo.com.br

*texto reproduzido no portal Tribuna do Ceará.