Acordei abraçada no travesseiro dele. Acordei com o meu cachorro deitado e encostado na minha barriga enquanto eu estava ali, de diagonal na cama. Lembro de uma vez quando Gabriela Pugliesi ficou solteira, ela postou uma foto dizendo: Status: Dormindo de diagonal na cama. 2 meses depois ela já estava namorando outro cara e dizendo que ele era o amor da vida dela.

Eu sou o tipo de pessoa que quando está solteira faz uma cagada atras da outra e finge que está tudo bem. Eu nunca quis ser solteira. Me perdoe as pseudo-auto-suficientes. Mas eu preciso de uma companhia. Preciso porque sei que compartilhar a vida com alguém que voce ama é dez vezes melhor do que conhecer mil pessoas mas sempre voltar pra casa sozinho ou com alguém que voce meio conhece. Não é legal. Não pra mim. Nunca quis mesmo que ja tenha feito. Nunca quis estar do outro lado mesmo que eu ja tenha estado. Sempre procurei por alguém que eu pudesse compartilhar minha vida. Ele não precisa me fazer feliz ou triste, ou sei la o que, ele precisa ser meu parceiro e me respeitar. Porque tem dias que eu to super feliz e ele triste, tem dias que eu to triste e ele super feliz. Entendi que a felicidade vem de dentro. Mas a parceria vem de fora. Obvio que se ele me xingasse, não me respeitasse ou me fizesse algo de muito feio, eu não ficaria mais com ele. Mas sempre so procurei um parceiro de vida. E talvez eu tenha encontrado. Digo ‘Talvez” porque eu sou aquela pessoa que não gosta de dizer “pra sempre” e “nunca” então eu digo “talvez” mas torço silenciosamente que seja “para sempre”.

Ele me faz uma falta danada. Faz porque é a minha companhia mesmo que eu tenha amigas e familia por perto. Ele faz porque eu sempre senti a falta dele mesmo antes de saber que era com ele que eu iria ficar. Deixem a gente se amar. Deixa a gente fazer textão mesmo. Deixa a gente ser exagerado. Deixa eu dizer que sinto falta dele mesmo daqui uns dias ele esteja voltando pra casa. O que vou levar dessa vida? Os julgamentos de vocês ou as minhas atitudes para com as pessoas que eu amo? Ja sabemos a resposta. A saudade que eu sinto dele é de todo dia. Todo dia é muito pouco. É sim. Meu coração transborda mesmo que eu não fale. Mesmo que eu não queira que saibam. Mas ele transborda. Aprendi que depois de um amor dessa escala, eu jamais vou aceitar algo menos que isso. Eu não quero o raso. Eu quero ele na sua escuridão, na sua profundidade. Eu quero ele de verdade. No seu mais sincero Ser. Eu não preciso de alguém que não solte pum, que nunca arrote ou que nunca diz algum palavrão. Eu não preciso de alguém eternamente feliz que acorde todo dia sorrindo. Eu so preciso dele. Na mais pura verdade.

Ele me faz uma falta danada. Minha luz, meu bem querer, meu melhor amigo, meu confidente, meu Zeno. Sinto sua falta. Que bom que seu travesseiro está aqui.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.