dia 133 // e t e r n i d a d e

quanto tempo é muito para viver no mesmo lugar?#oqueaprendovivendosemcasa, Lisboa

depois de adulta, o máximo de tempo que vivi na mesma casa foi três anos. entre períodos curtos em diversos lugares, permaneci por três anos no meu primeiro apartamento no rio, outros três em em apê em juiz de fora e mais três depois que voltei ao rio (coincidentemente na mesma rua do primeiro). olhando daqui pra trás vejo que cada um desses períodos foram pequenos pedaços de eternidade. porque em cada uma delas vivi roteiros completos: o tesão dos começos, a euforia com os amigos, momentos de solidão. o entendimento e pertencimento que cada um deles representou. depois, como em um relacionamento, vivi com cada um deles o momento de desencantamento. primeiro o desligamento emocional, depois o afastamento físico. por fim, se transformaram em lembranças. de todos tenho saudade. daqueles espaços e de como cada um deles me acolheu em diferentes momentos da minha vida. e essa sensação é maravilhosa, quando tudo que queremos é um pouco de constância e tranquilidade. por outro lado, a eternidade é apenas uma ilusão que muitas vezes nos cega perante um mundo que está rodando do lado de fora da janela. não importa se um dia ou uma vida, hoje tento abrir diariamente as portas e janelas para receber um pouquinho das inconstâncias do mundo. #semcasa #nomads#nohome #homeless #globetrotter