a beleza do quase

pego-me imaginando
se você tivesse segurado minhas mãos
pedido para eu ficar
se você tivesse aceitado
me fazer um café de manhãzinha
apreciar o orvalho caindo
se tivesse perdido noites conversando sobre teorias acerca da vida
se teríamos sobrevivido

“se”.

é a dúvida que me mantém te fitando com os olhos de quem jamais esquecerá
seu olhar ao acordar
o primeiro beijo
logo após o primeiro cigarro
enquanto eu observava seus costumes matutinos

pego-me imaginando
se você não tivesse cortado a fita que nos liga

o que seria de nós
se teríamos sobrevivido a problemas rotineiros
como esquecer de comprar o café
ou ração pros gatos
ou escolher o nome dos gatos

mas você me fita daí
te observo daqui
o nosso quase é tão bonito que me pergunto se vale a pena destroça-lo
com a nossa terrível realidade.