você chama esse teu tumor de amor

você me diz que precisa estar em outro lugar. sei que você está indo se encontrar com ela e eu só queria te dizer que preparei a casa inteira arrumei os lençóis só pra te receber. mas eu digo “ok”. queria tanto ter segurado a sua mão quando você disse o tanto que gostava de mim. e eu me iludo cada vez que você me olha de longe ou acena quando entro no meu ônibus e eu te vejo enquanto sento na janela me olhando com aquele sorriso bobo. a verdade é que me encanto por cada detalhe seu sabendo que teu desejo só é carnal e você chama essa deformidade, esse tumor, de amor. e me machuca toda vez que você mente acreditando como se fosse verdade. porque eu acredito. teu silêncio me diz tanta coisa. as ruas estão vazias o meu copo tá cheio eu tô aqui sozinha
e você tá com ela.

você olha pra isso que nasce em você e chama de amor
não sei se chamo de egoísmo ou desejo.
me corta o corpo com as tuas unhas e come minhas entranhas com os dentes
toda vez que acredito no que cê diz.

nesse momento eu sou o maior barulho da cidade
[você não escuta daí]