Quando eu era pequena, eu abraçava o Aurélio contra o peito, porque mal conseguia carregá-lo pela casa durante as minhas pesquisas. Hoje em dia, eu abraço as palavras, porque são muitos os sentimentos que eu sinto por dentro durante o meu dia a dia. Não dá nem para guardá-los na estante da minha mãe. É por isso que eu escrevo.
Vem aqui me dar um abraço, Aurélio
Letícia Cardoso
3063

Que lindo isso! ❤

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Carol Vidal’s story.