A síndrome do coração vazio

Copos cheios. Sorrisos vazios. De longe ela observa quão falsas são as convenções sociais. Tudo se esconde atrás de fotografias e gestos frios. Cadê aquele calor que se chama paixão?

Deixaram de prestar atenção ao que realmente importa.

Ela mostra. Ela não sente de verdade. Ela tem. Ela nunca se satisfaz. Ela quer. Que papel está interpretando? Tão fácil mostrar algo que na verdade não é. Aprendemos a esconder. Desde criança somos condicionados a sentir: dor, amor, alegria, tristeza, diversos sentimentos que às vezes nem somos capazes de dizer com palavras. Mas ela só quer sentir alguma coisa. Pode ser saudade, menos esse vazio que machuca, que dói, que incomoda.

Um silêncio que ecoa em seu próprio peito. Parece que está em um quarto fechado e sem janelas.

Desculpe ser clichê ou deprê. Mas ela quer subir na moto e embarcar nessa viagem rumo aos sentimentos. Quem topa?