Qual a última vez que você sentiu medo?

Qual a última vez que deu um frio na espinha? Que você sorriu e se jogou no desconhecido? Ou que pegou as malas e embarcou numa aventura? Eu não sei a minha, mas já sei a próxima. Não dá pra basear uma vida inteira em incertezas. Se quer fazer, vai lá e faz. E cá entre nós, não é fácil. Mas pensar demais também não ajuda.

Sempre fui de racionalizar as coisas, pensar no futuro. “Vou fazer esse curso, vai ser bom pro meu futuro.” Daí você faz o curso. E depois? Continua na mesma? Provavelmente. Quero tantas coisas, que acabo não fazendo nada. A procrastinação é minha maior inimiga, e inseguranças também. Hoje, se estamos assim, presos, é porque obviamente não somos capazes de encarar a realidade, de “sair da caixa”. Eu falo por mim, e acredito que por você também, ficar no sofá assistindo a vida passar é um tanto masoquista. Esse texto não é sobre uma revolução ou coisa parecida, é só sobre tentar ser feliz sem medo de julgamentos e falhas. Vamos?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.