Breve confissão de um adultério maquiavélico

Hoje eu te conheci em outro corpo. Hoje me apaixonei pelo teu olhar nos olhos de outra pessoa. Hoje, por mais que eu tentasse desviar, todos os meus caminhos levavam ao teu abraço. Mesmo não sendo teu abraço, propriamente dito. Hoje eu sou feliz. Sou completo. Sou concreto. Sou a Lua, sou o céu, sou todas as estrelas que já se apagaram e que ainda vão se acender. Hoje minha língua te desenha em dentes alheios. Hoje eu busquei respostas nos meus lábios, mas eles só sussurravam o teu nome. Hoje o meu suor pede pra grudar na tua carne. Hoje minha mão te encontra em todas as faces que acaricio. Hoje meu ouvido bebeu da tua voz, saída de uma garganta que não era a tua. Mas não me importa. Hoje eu finalmente te conheci. Hoje eu te amei em outros braços. Hoje eu percebi que a tua companhia vale mais que as outras. Hoje eu me encontrei em corpos alheios e senti neles uma necessidade irreparável de me perder no teu. Amanhã eu quero morrer nas entrelinhas da tua carne pra nunca mais viver longe de ti.

Like what you read? Give Carvalho Marques a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.