Poxa, quanta coisa legal pra destacar!
Jessica Luana Castro
21

Obrigado por seus apontamentos, Jessica Luana Castro. Sempre me preocupa este "piloto automático social". Sempre soube desta questão, principalmente vindo de um departamento de história, onde gênero é muito estudado.

As experiências relatadas por vocês deram um novo sentido a tudo. O discurso político feminista (e sua radicalização) mais a maneira como a abordagem acadêmica trata o assunto, criaram em mim uma percepção esteriotipada e desconectada da realidade,apesar de importantes. Nas diversas histórias aqui eu achei vida. E a partir delas, revisitei as questões teórica com outro olhar.

Parece-me que este é o caminho: expor as experiências, esta nefasta realidade e, ao mesmo tempo, juntá-las enquanto realidade política e explicar de forma acessível usando o ferramental acadêmico.

Acredito que nossa geração abriu um novo ciclo. Precisamos de mais pessoas esclarecidas, mais engajamento e menos militantes. Estes últimos escolheram uma parte. A parte exclui. Precisamos ter um movimento integral, olhando o todo e a todos, corrigindo as falhas e apontando o melhor caminho para aquele momento.

Vamos em frente.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.