Corrupção tem fim…

Quando ligamos a TV, ou o rádio, por exemplo, ficamos por dentro das notícias sobre a corrupção que o Brasil tem passado há décadas. Mas, nas entrelinhas, muitos corruptos e corrompidos acabam se esquecendo de um pequeno grande detalhe: o juízo de todas as coisas que foram realizadas na face da terra.

Geralmente, os pecados mais mencionados no meio atual referem-se aos capitais, outrossim ligados à inveja, ou a gula, bem como a luxúria. Mas aqui, a mancha do pecado é mais nociva, porque está se destacando em um ato social (embora tenha raízes individuais).

O pecado social agrega o fim das coisas enquanto um único indivíduo ou pequeno grupo busca destaque ou prestígio, perante a maioria das demais pessoas. Pouco importa se alcançar pequeno, médio, ou longo prazo, destruir o bem coletivo será consequência do gesto egoísta alcançado pelo gestor.

O fim de toda corrupção está além deste mundo, mais exatamente ligado ao Juízo Particular (cf. Hb 9,27), onde o indivíduo, após a morte, receberá a justa sentença pelo bem ou pelo mal que praticou nedte mundo. Ações individuais ou coletivas também passam por este Juízo, e podem alcançar menor ou maior sentença, do Justo Juiz, Nosso Senhor Jesus Cristo. Nele, sem sombra de dúvidas, o decreto não passa por instâncias, ou por delações, mas, face a face, todos, sem exceção, recebem a medida das escolhas, sazonadas enquanto esteve no meio do mundo.

Doravante, temos que tirar uma lição de tudo isso que vimos e ouvimos, para que não tenhamos a mesma escala de escândalos, ainda que em pequenas porções, pois, não é porque estamos ligados a “mensalões & melões”, que, dificilmente não excuse os erros da vida ordinária, nas encruzilhadas da vida.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Pe. Maurício de Souza’s story.