Reflexões sobre 2015 numa sala de embarque

Barcelona, assim começou o ano
Esse ano não escrevi resoluções (não que eu me lembre, posso achar perdido em algum bloquinho depois), escrevi um future.me uns meses atrás e olhe lá.

Sempre gosto de fazer uma reflexão sobre o que aconteceu durante o ano quando ele termina. Dessa vez aproveitei que dia 30 passei 5h no aeroporto durante uma conexão e resolvi escrever um textinho maior.

Indo contra corrente da galera, não tive um 2015 nem um pouco ruim… um ano que começa estando presa num vagão do metro de barcelona com um amigo querido e monte de gente festejando não pode dar errado! Mas trouxe situações novas, com certeza.

Conheci lugares diferentes, Barcelona, Paris, Madrid, Amsterdã, Roterdã, e outros tantos “sítios” de Portugal… coisa que abre a cabeça de uma forma inimaginável. E também trazem boas histórias, envolvendo garrafas de champagne achadas na rua, bares com neon de estrelinha, etc.

Aprendi a ter um verdadeiro lar (e uma laje), que tive a sorte de dividir com pessoas maravilhosas e parceiras pra tudo.

Conheci pessoas de vários lugares, nas situações mais inusitadas.

Concluí minha pós, aprendi muito, fiz amigos incríveis.

Vivenciei (com tudo que tinha direito) as festas populares de Portugal. Acho, inclusive, que todo mundo devia ir uma vez na vida, é em junho, fica a dica.

Tive um aniversário incrível com a família portuguesa.

Tive a oportunidade de ir (duas vezes!) no WDCD, evento que descobri tempo atrás e nem imaginei que iria um dia.

Voltei pra SP e matei a saudades dos migos, abracei os migos, fui pra baladas e bares com os migos, conheci as casas novas dos migos… resumindo, pentelhei bastante os migos. <3

Vi o N acontecendo em SP.

Vi muitas coisas acontecendo em SP, novas ciclovias, pessoas ocupando as ruas, as escolas e o que é delas por direito, senti mais empatia, e até parece que tem uma luzinha no fim do túnel.

Curti minha família.

Fui pra Belém, Rio, Curitiba e conheci a Ilha do Marajó (e acumulei mais umas histórias).

Ri de memes maravilhosos.

Voltei pro twitter. Comecei a usar netflix (talvez tenha sido uma péssima decisão, ainda é cedo pra chegar à conclusões concretas).

Usei cílios de penas, porque sim.

Acho que cresci muito como pessoa. Amadureci pontos de vistas e ideologias. Defini prioridades. Tomei (e estou tomando) consciência de muitas coisas. Desconstruí outras tantas. Comecei a prestar atenção no impacto que cada uma das minhas ações tem na minha própria vida e na dos outros.

Mas claro, não poderia ser só coisas boas, não é mesmo?

Dinheiro foi algo que passou longe e não juntei a graninha que gostaria de ter juntado.

Tive que lidar com a saudade das pessoas no Brasil, e perceber que vou ficar pra sempre dividida com entre São Paulo, Lisboa (e outros lugares que eventualmente passarei), querendo estar em todos ao mesmo tempo.

Não consegui estar tão presente pra pessoas distantes quanto gostaria.

Sofri (sofremos) com o machismo de cada dia (o lado bom foi perceber a força que temos quando estamos juntas e nos apoiamos).

Tomei sustos com a saúde de pessoas próximas (mas, por sorte, ficou tudo bem).

Aconteceram um monte de desgraças.

Me indignei com uma série de coisas.

Fiquei chocada com a ignorância humana (mais uma vez).

Enfim, os 7x1 que o mundo presenciou.

Mas analisando o conjunto da obra, diria que meu ano teve um saldo muito mais positivo do que negativo. 2015 não foi um ano fácil, mas não diria que foi ruim, e sim que foi desafiador… e desafios costumam nos deixar mais fortes.

No fim do ano tinha planejado de voltar na cartomante… mas preferi abraçar o desconhecido (talvez uma força adquirida de 2015). 2016, me surpreenda! :)

ultimo pôr do sol de 2015
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cecília De Lucca’s story.