Meus amigos cristãos: vamos falar sobre os imigrantes haitianos?

Aos amigos cristãos que estão publicando barbaridades sobre os imigrantes haitianos:

Gostaria de lembrar-lhes das palavras do Deus que vocês professam.

Deus deixou bem claro — no Antigo e no Novo testamento, que o estrangeiro que estivesse no meio do povo deveria ser tratado com justiça e ser acolhido. A razão no Antigo testamento é clara: porque Israel conhece o coração do estrangeiro, pois foi estrangeiro (isto é, imigrante, povo alheio, povo estranho) no Egito.

(aviso: todos os grifos nas citações bíblicas são minhas)

“Também não oprimirás o estrangeiro; pois vós conheceis o coração do estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito.” (Êxodo 23.9)
O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás; pois estrangeiros fostes na terra do Egito.” (Êxodo 22:21)
“E quando o estrangeiro peregrinar convosco na vossa terra, não o oprimireis.” (Levítico 19:33)
“Por isso amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito.” (Deuteronômio 15:3)
“Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas;
Que faz justiça ao órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa.
Por isso amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito.” (Deuteronômio 10:17–19)
Como um natural entre vós será o estrangeiro que peregrina convosco; amá-lo-ás como a ti mesmo, pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.” (Levítico 19:34)

O próprio Deus deixa ainda, por escrito, instruções para que os estrangeiros também sejam capazes de se alimentar:

“Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem;” (Deuteronômio 26:12)

E vocês aí reclamando que haitianos conseguem facilmente carteira de trabalho.

Depois, quando os profetas sugrem, Deus lembra a seu povo das ordenanças quanto aos estrangeiros, porque eles não estavam fazendo isso.

“E não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre, nem intente cada um, em seu coração, o mal contra o seu irmão.” (Zacarias 7:10)
“Assim diz o Senhor: Exercei o juízo e a justiça, e livrai o espoliado da mão do opressor; e não oprimais ao estrangeiro, nem ao órfão, nem à viúva; não façais violência, nem derrameis sangue inocente neste lugar.” (Jeremias 22:3)

Inclusive, o mau tratamento aos estrangeiros é citado nominalmente como uma das causas do exílio:

“Assim diz o Senhor: Exercei o juízo e a justiça, e livrai o explorado da mão do opressor. Não façais nenhum mal ou violência ao estrangeiro, nem ao órfão, nem a viúva; não derrameis sangue inocente neste lugar. Pois se deveras cumprirdes esta palavra, entrarão pelas portas desta casa reis que se assentem sobre o trono de Davi, andando em carros e montados em cavalos, eles, e os seus servos, e o seu povo. Mas se não derdes ouvidos a estas palavras, por mim mesmo tenho jurado, diz o Senhor, que esta casa se tornará em assolação” (Jeremias 22:3–5)

E no Novo Testamento?

Além de amar ao próximo (que é o segundo dos dois únicos mandamentos que Jesus ensinou), o próprio Jesus deixa bem claro: quem auxilia um estrangeiro está presetando auxílio a Ele diretamente (os grifos são meus):

“Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mateus 25:37–40)

Portanto, peço a vocês um pouco mais de amor, empatia, compaixão e misericórdia. E menos xenofobia.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cedric Graebin’s story.