“Vendo” Deus onde ele “não” está: vamos falar um pouco de louvores seculares

(foto acima: Binocles Adriàtics no flickr.com)

Talvez seja meio óbvio, mas devo começar esse texto dizendo que sou evangélico. Assim eu evito qualquer desentendimento mais adiante.

No meio evangélico, o assunto “música secular” (isto é, a música que não é empregada em serviços religiosos, ou como alguns gostam de chamar, a “música do mundo”) é um tabu. Para muitas denominações evangélicas escutar música secular não é recomendado aos crentes. Para outras é inclusive, proibido. O simples ato de escutar uma música que não é feita para Deus já “contamina” o crente.

Vou deixar claro: acho isso besteira das grandes. (vá se acostumando pois tendo a não medir algumas palavras).

Não é exatamente o tema deste texto, mas a minha razão para usar a palavra besteira vem da justificativa abaixo:

Já que vocês morreram com Cristo para os princípios elementares deste mundo, por que é que vocês, então, como se ainda pertencessem a ele, se submetem a regras:
“Não manuseie! “ “Não prove! “ “Não toque! “?
Todas essas coisas estão destinadas a perecer pelo uso, pois se baseiam em mandamentos e ensinos humanos.
Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne.
Colossenses 2:20–23

Mas vamos ao que interessa.

Eu me considero um otimista. Quando dizem que “tiraram Deus do governo” ou “tiraram Deus das escolas” ou “a cultura deste século não tem nada a ver com Deus” eu penso exatamente o contrário.

Ainda creio que Deus está em todos os lugares. E que continua falando com a gente. Como disse o australiano Rikk Watts em Livres para Amar, às vezes super-espiritualizamos tanto as coisas que Deus pode muito bem estar ao nosso redor, falando. Mas se Ele não colocar uma sarça ardente na nossa frente, ou algum outro espetáculo pirotécnico de impacto visual similar, não vamos conseguir enxergar.

E, como pianista amador com um defeito de audição, tenho sempre em mente as lições de minha professora de piano e de outros músicos que tenho consideração: mantenha sempre a mente aberta. Ou, como disse o próprio Paulo de Tarso:

Examinai tudo. Retende o bem.
1 Tessalonicenses 5:21

E, por insistir em manter a mente aberta, acabo vendo coisas que às vezes passam despercebidas.

Vejam, por exemplo, essa música que é um dos grandes sucessos de Curtis Mayfield & the Impressions (embora eu esteja colocando abaixo a versão da falecida Eva Cassidy*):

People get ready, there’s a train comin’
You don’t need no baggage, you just get on board
All you need is faith to hear the diesels hummin’
You don’t need no ticket you just thank the lord
People get ready, there’s a train to Jordan
Picking up passengers coast to coast
Faith is the key, open the doors and board them
There’s hope for all among those loved the most
There ain’t no room for the hopeless sinner whom would hurt all mankind
Just to save his own
Have pity on those whose chances grow thinner
For there is no hiding place against the kingdoms throne

Abaixo vai a minha tradução:

Pessoas, preparem-se: há um trem chegando
Você não precisa de malas, apenas embaque
Tudo que precisa é de fé para ouvir o som do motor
Não precisa de ingresso, apenas agradeça ao Senhor
Pessoas, preparem-se: há um trem para o Jordão
Pegando passageiros de costa a costa
Fé é a chave, abra as portas e embarque
Há esperança para todos entre os mais amados
Não há esperança para o pecador que feriria toda a humanidade
Apenas para salvar a si mesmo
Tenha pena daqueles cujas chances estão diminuindo
Pois não há como se esconder do trono do Reino

Não sei vocês, mas não só Deus está ali na letra, como também posso dizer sem exagerar que essa música é uma pregação melhor do que algumas exposições pastorais que eu assisti em minha (mais ou menos curta) vida.

E ouso dizer mais: não me sentiria incomodado (de jeito nenhum!) em usar essa música em um serviço de louvor em alguma igreja. Fé, esperança, justiça. Precisa de algo mais?

Eu considero essa música um dos muitos exemplos de louvores seculares (isto é, músicas que não foram compostas para serem utilizadas em serviços religiosos, mas que podem ser usadas sem problemas).

Convido vocês a realmente abrirem os olhos. Muitos estão dizendo que Deus saiu das escolas, que tiramos Deus do governo. Eu acho que Ele não concorda. Ele ainda está aí, vivo. E falando.

Nós que não estamos escutando.

NOTA: Eva Cassidy morreu por causa de um melanoma alguns meses após esse vídeo ser gravado. No final da música, ela canta:

Estou me preparando! Estou pronta!

Quando o Trem chegar eu também espero estar, Eva.