O outro lado da moeda

Se você trabalha sentado em frente a um computador, já viu um caso. Se vai ao shopping, já ouviu falar. Vamos resumir, vai: em qualquer lugar que você flutue na sociedade, já viu ou ouviu um caso da tal discriminação. Geralmente da maioria em relação a uma minoria. Mas e quando a minoria é maioria?

“O que é? Do que se alimenta? Onde vive?”

A gente sempre pensa no racismo do branco para o negro ou um grupo étnico considerado minoria. Mas quando acontece o contrário, é normal?

Não, não é.

Só pra constar, o racismo é crime, independente do lado que parte. Não sei se viram, mas sou negro. E eu acho absurdo ataques contra etnias, independentes de quais sejam. Tal como o uso de adesivos, camisetas ou qualquer porcaria com mensagens de segregação, tipo a famosa “100% Negro”. Aceitaria um “100% Humano”, apesar de não fazer sentido a necessidade.

Há alguns anos, li “Invictus”, de John Carlin, que conta a história de Mandela desde sua juventude até a Presidência. Pra quem não sabe, Madiba lutou (literalmente) contra o governo e o apartheid da África do Sul. Foi preso no fim dos anos 60 e solto só em meados de 90. 27 anos de prisão.

A sociedade branca temia sua saída, porém os guardas, diretores de prisão e quem convivia com ele, o respeitava. Alguns, até o admirava. Sim, ironia da vida né?? Você crescer odiando uma etnia e de repente se vê admirando um preso negro. Sim, é a prova que as pessoas mudam, evoluem, revêem conceitos…

Mas voltando… o governo tinha consciência que Mandela solto podia ser presidente. E com isso, vingança!

Um presidente prendendo e matando um monte de branco por intolerância, tal como fizeram com os negros. Era o previsto, né?! Seguindo a lógica de algumas pessoas da sociedade atual…

E o que ele fez? Abraçou o país como um todo! E por essas e outras que ele é um símbolo! Mandela foi mito (Se tiverem curiosidade, leiam ou assistam Invictus – o filme tem o Matt Damon, mas só aborda a Copa do Mundo de Rugby em 95-, uma boa lição de tolerância e amor).

Portanto, caro amigo, no momento em que é maioria faz piadas racistas, tenho uma notícia: Você é um grande babaca! Ah, e está cometendo um crime.

Sejamos mais tolerantes com todos grupos, maiores ou menores, independente de crença, cor, salário, emprego ou que seja!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cesar Eduardo’s story.