A noite ja estava quase no fim, as bebidas também... Até que ele resolveu pegar em seus cabelos e acariciar seu rosto.
Nossa! Ela se arrepiou da cabeça aos pés e ficou acanhada instantaneamente. Nao sabia se sorria, se ficava séria, travou.
Ele, percebendo aquilo, logo se aproximou e a beijou.
Aquele momento era tão desejado por ela, que não pôde se conter...
O beijo avançou para as mordidas no pescoço, ela adora morder... Claro, mordidas que não deixam marcas e nem machucam, só ela sabe bem como fazer.
E as mãos dele, que escorregavam com intensidade e desejo em seus seios. Mãos, uma no corpo do outro, até que perceberam que alí, na frente do bar, não era tão apropriado rsrs
Foram para o carro então, e passou milhões de coisas em sua cabeça, principalmente seu fetiche com carros, que ela ja realizara com outro alguém...
Resolveu esperar, mas ele foi mais rápido. Foi só entrar, fechar a porta, q logo ele lhe meteu a mão entre as pernas.
Caramba! Ela foi às nuvens...
Vestia um vestido de verão, botas de couro e usava uma calcinha muito fina, deu pra sentir bem aquela pegada. Se molhou toda...
E ele? Ah, ele já estava até com o cinto da calça solto, o ziper aberto, só esperando uma melhor oportunidade.
Alí mesmo, dentro do carro, ela ja até suspirava e bufava de prazer, mas tudo muito baixinho e só no ouvido dele, que já não se aguentava mais em ouvir aqueles pequenos gemidos.
Seus dedos, já tremulos, passeavam em sua vagina, fazendo uma dança que ela jamais sentira.
Chega! - Ela disse. Vamos sair daqui.
E ele correu pro motel mais próximo.
Nao deu nem 5min na direção até o motel, só que nestes longos minutos, a mão dela ficou o tempo todo dentro da calça dele. Ela queria deixa-lo louco.
Nem bem pisaram na porta do quarto e já estavam nús, se comendo com a boca e com as mãos.
Ele então deu uma pausa, a deitou na cama, e foi descendo seus labios sobe seu corpo num misto de beijos e línguas que entrelaçavam até suas coxas.
Ele a chupava perfeitamente, sabia cada detalhe do seu corpo, como se já o conhecesse há tempos.
Enqnto a chupava, seu dedos a penetravam e outros ele colocava na boca dela e pedia para q os chupasse também, preferencialmente da forma q gostaria que ele a chupasse... Tática perfeita e infalível!
Assim q ele a molhou de prazer, ela o pediu pra sentar na ponta da cama.
Ela prefere ficar de joelhos, se sente mais confortável para retribuir a imensidão de prazer que ele a proporcionou.
O chupou tão deliciosamente, como se fosse um sorvete de flocos no verão.
Ela adora e não o deixa gozar, não agora. Sexo com ela, demora mais que o esperado haha...
Ela então voltou a deitar e pediu para que ele a chupasse mais um pouco, em seguida, a penetração. Transaram por muito tempo. Ocilavam entre o rápido, selvagem, tapas, mordidas, arranhões, puxões de cabelo e a calma, pra aguentar a noite toda.
Uau! Ela é demais - Ele pensou.
Após se esbaldar e se molhar absurdamente de prazer, gozou e, atenta ao momento em que ele já estava pra gozar, se contorceu para voltar a chupa-lo.
Ela queria engolir todo o sêmen daquela transa.
Ele respirava forte e rápido de tanto prazer, enquanto segurava seus cabelos. Ela enfiava seu pênis inteiro na boca, lhe chupava e lambia delicadamente, babava com gosto, até que ele gozou.
Ela só engoliu um pouco, bem pouco. Na verdade, ela deixava escorrer pela boca, seios, até o umbigo...
Que noite!