Chegou a hora de escrever uma nova história

O dia 09 de janeiro de 2017, para muitos, foi apenas mais uma segunda-feira. A segunda do ano novo que acaba de começar. Para mim, esta segunda marcou um momento especial, difícil ainda de processar. Foram 996 segundas-feiras desde que começamos uma história 19 anos atrás, quando a Internet comercial no Brasil ainda dava os primeiros passos, no longínquo ano de 1997. Para ser mais preciso, no dia 12 de dezembro de 1997, quando no País havia pouco mais de 70 mil domínios registrados e, foi nesse dia, que iniciamos um projeto que se transformaria pouco tempo depois no site Rock Online e, alguns anos mais tarde, no Território da Música.

Fomos ousados. Talvez pela pouca experiência do começo, aquela história de ninguém falou que era impossível então fomos lá e fizemos. Muito antes dos serviços de streaming de música se consolidarem, em 2000 já tínhamos nossas playlists no Usina do Som, através de uma parceria com o site de rádio online da Editora Abril. Antes do fenômeno dos youtubers, em 1999, na época da Internet discada, já produzíamos conteúdo exclusivo em vídeo. Em 1998, com os parcos recursos que tínhamos à disposição (chat, texto, foto e uma conexão de 56Kbps) cobrimos ao vivo a quarta edição do Festival Monsters of Rock. Aliás, fomos também os responsáveis pelo desenvolvimento do site oficial do festival, o primeiro site de um festival de música no Brasil.

Tivemos as salas de bate-papo que viviam lotadas de gente interessada em música e ávida por trocar informações e fazer novos amigos, o nosso fórum com mais de 60 mil usuários ativos (que foi engolido pelo Orkut — primeiro sinal das mudanças que estavam por vir) e também os bate-papos semanais no UOL com convidados mais que especiais.

Não posso me esquecer do Rock Brasilis, o primeiro festival virtual de música do Brasil que produzimos com o apoio da Microsoft e da gravadora Century Media. Aliás, foi através desse festival que conheci o meu querido amigo e padrinho Wander Taffo (saudades), que junto com o Celio Ramos e a Monica Lima da EM&T, nos acolheu para juntos desenvolvermos o projeto do Território da Música em 2003.

Me orgulho de cada uma das dezenas de milhares de notícias, artigos, entrevistas, furos, fotos, vídeos, promoções e de tudo mais que passou pela nossa cabeça ao longo desses anos e que acreditamos que seria bacana produzir. Foram muitos os shows, festivais e baladas memoráveis e, claro, também as roubadas homéricas, mas que hoje também rendem boas risadas e memórias.

Vivemos hoje um período de grandes transformações, em que precisamos a cada minuto desapegar de todos nossos conceitos e convicções na tentativa de compreender melhor os novos caminhos que se formam.

Enfim, não escrevo esse texto para me lamentar. Ao contrário, escrevo para registrar o meu agradecimento por todas as experiências que essa jornada me proporcionou, pelos muitos amigos que fiz e, acima de tudo, pelo aprendizado que algumas pessoas especiais como Enor Paiano, Adriana de Barros e Jan Fjeld me proporcionaram lá no começo de tudo, me ensinando pacimentemente a dar os primeiros passos. Muito obrigado!

A partir de agora o caminho está aberto para novas aventuras e sei que, já em 2017, elas serão muitas.