Somos a geração mais egoísta, narcisista, preguiçosa e depressiva de todos os tempos (e precisamos falar sobre isso)

O mundo vem sendo palco de grandes e fantásticas revoluções tecnológicas, que vem quebrando barreiras geográficas através da internet, conectando pessoas outrora distantes, e ainda trazendo conhecimento e poder aos que antes viviam isolados, ou aos menos favorecidos, que ainda são vítimas de políticas unilaterais, ou até ditatoriais de seus governantes…

Se por um lado essas tecnologias vem nos aproximando do que antes estava distante, ela também está nos distanciando de alguém que é realmente mais importante do que qualquer artista, político, ou youtuber: nós mesmos.

Simon Sinek, autor do best-seller mundial “Por quê? Como grandes líderes inspiram ação”, e um dos apresentadores do TED com mais visualizações no mundo (mais de 30 milhões), recentemente em uma entrevista para a Inside Quest, descreveu que a Geração Millennium, ou Geração Y (que são o grupo de pessoas que nasceram entre os anos de 198o à 2000) são as mais egoístas, narcisistas, preguiçosas e depressivas pessoas de todas as gerações anteriores. E, conforme ele, as razões para que esta geração seja a mais solitária e triste do que as outras estão contidas em quatro variáveis: Pais, Tecnologia, Impaciência e o Atual Ambiente que vivemos. Fatores decisivos para que a cada novo ano o abandono das escolas, número de suicídios, overdoses de drogas lícitas, e não lícitas venham só estar aumentando…

Apesar do parecer caótico que é desenhado por Simon, ele cita que é necessário reformular nossos modelos e “estilos tecnológicos” de viver: está na hora de não sermos mais dependentes, paranoicos, dos celulares e computadores; é necessário repensar os papéis de liderança no mercado e dentro das velhas, e novas, corporações, de modo que a nossa geração venha se sentir realmente envolvida; é momento de darmos mais importâncias aos NÃOS da vida real, do que as infinitudes de CURTI da internet: é hora de olharmos para o espelho e vermos que temos espinhas e, talvez , mais cabelos (ou menos) do que imaginávamos; sentir vergonha, medo, coragem, TER PACIÊNCIA… é necessário aprendermos como realmente é ser humano, do zero, sem manual, sem Wikipédia, sem nada. E então construiremos uma sociedade mais saudável e que será forte o suficiente para se livrar das depressões e suicídios desta geração.

Assista o vídeo da entrevista no vídeo abaixo:

***

Cesar A. A. L. Camargo Filho é CEO e Cofundador da OnZero, Consultor de TI na OD Tecnologia e Bacharel em Sistemas de Informação pelo UNIARAXÁ.http://camargofilho.com.br

Publicado originalmente no blog do autor: ​http://migre.me/vVPlj