Conquista

Da mãe, um grandíssimo parabéns, acompanhado daquele beijo no rosto e do abraço que só mãe sabe dar.

Do pai: “Cumpriu o seu dever, parabéns”. Palavras tímidas, mas que carregam um imenso orgulho dentro delas.

Dos irmãos, aquele leve deboche. “Mas você é cagado, hein?”. No fundo, reconhecem o feito, mas como clássicos irmãos não querem admitir.

Dos avôs, o orgulho puro. “Meu neto passou na POLI! Olha que coisa mais linda!”. Super satisfeitos em espalhar a notícia com as amigas da igreja e com os amigos do bocha.

Dos amigos, o super cérebro. “Pô, bixo, também com essa cabeça ia ser fácil!”, e não importam quantas vezes você negue o nome e quantas DP’s futuras vierem, o título nunca sai.

De algumas pessoas aleatórias, inveja. Mas não precisamos dar atenção a elas, né?

Agora, de você, provavelmente um pedaço de tudo e mais um pouco. Agradecendo os parabéns e ignorando os maus pensamentos, cada um deve se sentir de uma maneira diferente. Nenhuma certa, nenhuma errada, é parte do caminho de cada um que irá desencadear em várias pessoas renovadas, prontas para fazerem seus sonhos valerem à pena.

Márcio Sartorelli — 3º ano de Engenharia Civil

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.