Viciados em felicidade
Luciane Fernandes
5733

Não sei como definir, mas acredito que faltou* uma pequena correlação com as redes sociais, pois tudo o que você escreveu faz parte de um ciclo que termina nelas. O capitalismo não faz sentido sem o compartilhamento, você precisa mostrar que é (tenta ser) feliz — essa tática já era usada antes em comerciais de cigarros, perfumes etc, os outros veem e acham que os demais estão mais felizes que quem vê, indo “buscar” a sua felicidade e começa tudo de novo. Também são responsáveis pelas “pequenas doses de recompensa”.

*Não gostei de usar o verbo faltar, dá a entender que seu texto está incompleto, o que não é o caso. Eu não sou bom com essas coisas, espero que tenha entendido o meu ponto. Talvez você tenha feito uma abordagem mais voltada ao indivíduo e não ao ambiente em que ele está inserido.

Obrigado pela reflexão.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.