Texto sensacional e muito necessário!
Greg Candalez
11

O problema desses maus hábitos é o longo prazo — agora não faz mal nenhum, mas conforme vamos envelhecendo os problemas aparecem. É complicado, começa com gota, um colesterol alto, pré-diabetes (tenho vários amigos com menos de 40 anos que estão pré-diabéticos), fígados gordurosos, uma artrose precoce, um encurtamento de tendões, um glaucoma leve, e mil outras coisinhas… E não dá pra consertar 35 anos de maus hábitos alimentares com uma “dieta rápida”. É pra botar a mão na consciência e quase entrar em pânico mesmo, e pensar quem você quer ser daqui 40 anos.

Criar os bons hábitos é difícil pra caramba, requer tempo e comprometimento… Imagine eu que moro dentro de uma confeitaria — a oferta é grande e disponível O TEMPO TODO. Não sou nenhuma noia de comida saudável, bem pelo contrário, mas juro que depois que eu me obriguei a colocar os vegetais todos no meu dia-a-dia minha saúde melhorou muito.

Pra evitar as porcarias dá pra começar se policiando pra trazer pro trabalho uma fruta de casa, por exemplo, e deixar em cima da mesa — na hora do desejo de doce ela já tá ali, mais fácil do que sair caçando alguma guloseima. No começo pode não ser o suficiente, mas com o tempo vai ser, é demorado “desmamar” do açúcar mesmo. Energia rápida, metabolizada rapidão, o corpo acostuma!

E o Michael Pollan tem razão: quando você mesmo prepara a comida, você come menos – digo isso por experiência própria :)

Boa sorte!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.