Vermelho e Vinho

Só sei que era tinto

Briga de fogo ardente

Cativando a brasa quente

Na pele lisa que se sente

Lembro teu sorriso displicente

Tarde gostosa pra relembrar

Eu no seu colo a deitar

Proza boa de tragar

Mal sabe ela o bem que lhe faz

Menina doce, serena e cheia de paz

Esfria a cabeça do rapaz

Aquece o corpo e acalenta a alma

Acalma o turbilhão de ideias em sua cabeça

Deixo um beijo pra que você não se esqueça

Escrevo estrofes para que eu não me perca

Deixo aqui pedaços da minha (in)sanidade

Viva nossa querida liberdade

Com sabedoria e alteridade

To chegando, me aguarde