Velejar

View of the Voorzaan (1871) — Monet

O amor é assim

Chega de fininho

Escondido em detalhes

E vai talhando como se fosse madeira o espaço

Preenche pouco a pouco, sem prévia sem aviso

Descontrói e constrói

E assim como vem vai

Faz qualquer bom marinheiro perder o rumo

Quando se vê perdido no mar desconhecido

Imensidão de sentimento

Até perceber que o mar são olhos marejados de lágrimas

E que tudo começa tem fim, e que todo fim tem um começo

E que toda história possui próximo capitulo pra quem esta disposto

E se deixar a corrente leva, lentamente pro despertar

Através de novos olhos

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.