Na real, o que acho que mais impacta no uso dos channels é o próprio uso que os usuários dão pra…
Marcos Vinícius Silva
2

Concordo com a Daiane Melanda, o produto tem que se adequar ao usuário e não o contrário. Um bom exemplo é o Twitter que trocou a função (★ favorite) para (♥ like) uma interação mais adequada para o contexto de rede social, provavelmente detectaram que o "favoritar" estava sendo usado como "curtir". Novas funcionalidades tem curva de aprendizado, tempo de maturação, o ideal é tentar, esperar e reavaliar constantemente. Se o usuário não está fazendo o que você acha que ele deveria fazer, o problema não é o usuário, é o produto, talvez ele não faça sentido.