Capitalismo negro reanalisado I

Huey P. Newton — 5 de Junho 1971

Esse é um diálogo em nosso contínuo debate sobre , à medida que começamos a executar a visão original do Partido. Quando cunhamos a expressão “Todo poder ao povo”, tínhamos em mente a ênfase da palavra “Poder”, por entendermos que o desejo de poder é o movimento básico do homem. Mas é incorreto buscar poder sobre as pessoas. Temos sido submetidos à exploração e racismo durante anos; e a comunidade negra tem sua própria vontade de poder também. O que buscamos, porém, não é poder sobre as pessoas, mas poder para controlar nossos próprios destinos. Para nós, a verdadeira definição de poder não é em termos de quantas pessoas podemos controlar. Para nós, poder é, primeiramente, a habilidade de definir fenômenos e, segundamente, a habilidade de fazer esses fenômenos agirem da forma desejada.

Nós vemos que poder tem uma característica dúbia, e não podemos simplesmente identificar e definir os fenômenos sem agir, pois fazer isso seria ser um filósofo de sofá. E quando Bobby e eu deixamos o Merritt College para organizar os irmãos, fizemos porque os estudantes universitários estavam muito satisfeitos sentados e analisando sem agir. Por outro lado, poder inclui ação, é fazer um fenômeno agir da maneira desejada. Mas ação sem pensamento e teoria é igualmente incorreto. Se as forças sociais no trabalho da comunidade não tem sido corretamente analisadas e definidas, como você pode controlá-las para que ajam da maneira desejada? Então o Partido dos Panteras Negras tem sempre mesclado teoria e prática de forma a servir os verdadeiros interesses da comunidade.

Mesclando teoria e prática, reconhecemos que era necessário desenvolver uma teoria que fosse válida pra mais de uma época e lugar. Nós queríamos desenvolver um sistema de pensamento que fosse bom em qualquer lugar, portanto, teria que ser um pouco abstrato. No entanto, nossa teoria diria respeito à análise concreta de condições concretas, para que nossas ações fossem sempre relevantes e rentáveis para as pessoas. No entanto, ao mesmo tempo, tinha que avançar seu pensamento para que eles pudessem se mover em direção da transformação de sua situação de exploração e opressão. Nós sempre insistimos em boa teoria e boa prática, mas nem sempre fomos bem sucedidos. Quando o Partido dos Panteras Negras deserdou da comunidade negra, nos tornamos, por um momento, membros de uma seita revolucionária. Uma das principais características de um membro de uma seita revolucionária é que ele despreza todos os que não tenham atingidos seu nível de consciência, ou o nível de consciência que ele acha que atingiu, ao invés de agir para trazer as pessoas a esse nível. Dessa forma, o membro da seita revolucionária se divide do povo, ele deserda da comunidade. Ao invés de servir ao povo como vanguarda, ele se torna um herói. Heróis se envolvem em ações muito corajosas às vezes, e muitas vezes fazem grandes sacrifícios, incluindo o sacrifício supremo, mas eles ainda estão isolados das pessoas. Suas ações corajosas e sacrifícios não levam as pessoas a um alto nível de consciência, nem produzem mudanças fundamentais na exploração e opressão do povo. Uma vanguarda, entretanto, irá guiar o povo em níveis mais elevados de consciência, e dessa forma irá trazê-los ao ponto onde irão tomar medidas mais severas por seus próprios interesses e contra os daqueles que continuam oprimindo-os. Como dissemos anteriormente, revolução é um processo, não um fim. Um verdadeiro revolucionário não irá apenas tomar ações corajosas, ele irá também tentar avançar o povo na maneira como elas irão transformar sua situação. Isso é, entregando o poder ao povo, o verdadeiro revolucionários irá ajudá-los a definir os fenômenos sociais em sua comunidade e levá-los até o ponto onde eles irão aproveitar o tempo e fazer esses fenômenos agirem da maneira desejada.

Entretanto, como revolucionários, devemos reconhecer a diferença entre o que o povo pode fazer e o que o povo irá fazer. Eles podem fazer qualquer coisa que desejem fazer, mas eles irão apenas tomar aquelas ações que forem consistentes com seu nível de consciência e compreensão da situação. Quando elevarmos sua consciência, eles irão entender ainda mais plenamente o que eles de fato podem fazer, e irão passar sobre a situação de uma maneira corajosa. Isso é mesclar sua teoria com suas práticas.

O ponto 3 do Programa original de dez pontos do Partido dos Panteras Negras é “Queremos o fim da ladroagem dos capitalistas contra a comunidade negra.” Essa era nossa posição em Outubro de 1966 e ainda é a nossa posição. Reconhecemos que o capitalismo não é a solução para os problemas que enfrentamos em nossas comunidades. A exploração capitalista é uma das causas básicas do nosso problema. Esse é o objetivo do Partido dos Panteras Negras, para anular o capitalismo em nossas comunidades e nas comunidades oprimidas ao redor do mundo.

Entretanto, muitas pessoas tem oferecido à comunidade o capitalismo negro como solução aos nossos problemas. Nós reconhecemos que as pessoas na comunidade negra não tem uma antipatia geral ao conceito de capitalismo negro, mas isso não é porque eles amam o capitalismo. De modo algum. A ideia de capitalismo negro passou a significar para muitas pessoas negras o controle das instituições na comunidade. Nós vemos dentro dessas características as sementes da negação do capitalismo negro e de todo o capitalismo em geral. O que devemos fazer, então, é aumentar as qualidades positivas até que elas dominem as negativas e então transformem a situação.

No passado, o Partido dos Panteras Negras tomou uma posição contra revolucionária com nossa condenação geral do capitalismo negro. Nossa estratégia deveria ter sido analisar as qualidades positivas e negativas desse fenômeno antes de fazer qualquer condenação. Embora reconheçamos, e corretamente, que o capitalismo não é solução ou resposta, nós não fizemos uma análise verdadeiramente dialética da situação.

Nós reconhecemos que, para trazer as pessoas para o nível de consciência onde elas iriam aproveitar o tempo, seria necessário servir a seus interesses de sobrevivência, desenvolvendo programas que iria ajudá-los a satisfazer suas necessidades diárias. Por um longo tínhamos esses programas, não apenas por sobrevivência, mas também para fins de organização. Agora não temos apenas o programa de café da manhã para crianças em idade escolar, temos programas de roupas, clínicas de saúde que prestam serviços médicos e dentários gratuitos, programas para prisioneiros e suas famílias, estamos abrindo fábricas de roupas e sapatos para fornecer mais as necessidades da comunidade. Mais recentemente começamos um programa de pesquisa e testes sobre anemia falciforme, e sabemos que 98% das vítimas dessa doença são negros. Falhar no combate dessa doença é se submeter ao genocídio; a batalha é por sobrevivência.

Todos esses programas satisfazem as profundas necessidades da comunidade, mas eles não são soluções para nossos problemas. É por isso que chamamos de programas de sobrevivência, que significa sobrevivência até a revolução. Nós dizemos que os programas de sobrevivência do Partido dos Panteras Negras é como um kit de sobrevivência de um marinheiro preso em uma jangada. Irá ajudá-lo a se manter até que ele possa sair completamente dessa situação. Então, os programas de sobrevivência não são respostas ou soluções, mas nos ajudarão a organizar a comunidade em torno de uma verdadeira análise e compreensão da situação. Quando a consciência e compreensão for elevada a um alto nível, então a comunidade irá aproveitar o tempo e livrar-se das botas de seus opressores.

Todos os programas de sobrevivência são gratuitos. Nós nunca cobramos um centavo que eles recebam o que precisam de qualquer um dos nossos programas, e não cobraremos. Não vamos ser pegos em um monte de perguntas embaraçosas ou papeladas que alienam o povo. Se eles tem uma necessidade, iremos servir suas necessidades e tentar levá-los a entender as verdades razões pelas quais eles estão em necessidade nessa terra tão incrivelmente rica. Programas de sobrevivência sempre irá operar sem custos para aqueles que precisam e se beneficiam deles.

Para executar esses programas, sempre precisamos de dinheiro. No passado, recebemos dinheiro de ricos filantropos brancos, humanitários, e seus monopólios corporativos. Ao mesmo tempo em que estávamos engajados em uma condenação dos pequenos capitalistas negras vitimizados encontrados em nossas comunidades. Essa tática estava errada, uma vez que recebíamos dinheiro para nossos programas de sobrevivência de grandes capitalistas brancos, e livremente admitíamos isso.

Quando dizemos que vemos dentro do capitalismo negro as sementes de sua própria negação e a negação do capitalismo como um todo, nós reconhecemos que o pequeno capitalista negro em nossas comunidades tem o potencial de contribuir para a construção de uma máquina que irá servir aos verdadeiros interesses do povo e acabar com toda a exploração. Aumentando as qualidades positivas dos capitalistas negras, podemos ser capazes de trazer uma solução não antagônica de sua contradição com a comunidade, ao mesmo tempo aumentando a contradição das comunidades oprimidas com o grande império capitalista corporativo. Isso irá intensificar a antagônica contradição entre a comunidade oprimida e o império; e aumentando essa contradição, irá consequentemente haver uma violenta transformação do império corporativo. Faremos isso através dos programas de sobrevivência, que tem o interesse da comunidade no coração.

Vemos agora o capitalista negro como tendo um relacionamento similar à comunidade negra como a burguesia nacional (nativa) tem com o povo em guerras nacionais de descolonização. Em guerras de descolonização, a burguesia nacional apoia a luta de libertação do povo porque reconhecem que isso é de seu próprio interesse egoísta. Então, quando o explorador estrangeiro for expulso, a burguesia nacional toma seu lugar e continua a exploração. Entretanto, a burguesia nacional é um grupo mais fraco, embora sejam exploradores¹.

Desde que as pessoas vejam o capitalismo negro na comunidade como um controle negro das instituições locais, essa é uma característica positiva, porque as pessoas podem trazer mais foco e direção às atividades do capitalista. E ao mesmo tempo o negro capitalista que tem os interesses da comunidade no coração irá responder as necessidades do povo, porque é onde sua verdadeira força reside. Na medida em que o capitalismo em geral o capitalista negro tem meramente o status de vítima, porque o grande capitalista branco tem as habilidades, fazem os empréstimos, e de fato controlam o capitalista negro. Se ele quer ter sucesso em seu negócio, o capitalista negro deve voltar para a comunidade, porque depende dela para fazer seus lucros. Ele precisa desse forte apoio da comunidade, porque ele não pode se tornar independente do controle dos capitalistas corporativistas que controlam os grandes monopólios.

Em relação ao capitalismo em geral, o capitalista negro tem meramente o status de vítima, porque o grande capitalista branco tem as habilidades, faz os empréstimos e de fato controlam o capitalista negro. Se quiser ter sucesso em seu empreendimento, o capitalista negro deve se voltar à comunidade, porque ele depende dela para fazer seus lucros. Ele precisa desse forte apoio da comunidade, porque não pode se tornar independente do controle dos capitalistas corporativos que controlam os grandes monopólios.

O capitalista negro será capaz de apoiar o povo contribuindo com os programas de sobrevivência do Partido dos Panteras Negras. Contribuindo com esses programas, ele será capaz de ajudar a construir o veículo que acabará por libertar a comunidade negra. Ele não será capaz de libertar o povo de seus problemas, mas será capaz de ajudar a construir a forte máquina política que irá servir como vanguarda revolucionária e guiar o povo em sua transição para a liberdade.

Nossa re análise do capitalismo negro e seu relacionamento com a comunidade pela perspectiva do materialismo dialético, e nossa compreensão prática das necessidades da comunidade e das atitudes das pessoas em relação ao capitalismo negro, nos levaram a uma nova posição. Empresários negros que tem o interesse da comunidade no coração será capaz de contribuir com o povo através dos programas comunitários do Partido dos Panteras Negras. Esses programas gratuitos irão ajudar a comunidade a sobreviver e, assim, impedir o genocídio que é sempre uma ameaça a nossa existência.

Em troca dessas contribuições, o Partido dos Panteras Negras irá realizar anúncios dessas empresas em nossos jornais e exortar a comunidade a apoiá-los. Nunca venderemos espaços publicitários no jornal, mas vamos dar espaço em troca das contribuições aos programas de sobrevivência, que são dadas de graça à comunidade. Dessa forma, vamos conseguir uma maior unidade da comunidade de vítimas, pessoas que são vitimizadas pela sociedade em geral, e os capitalistas negros, que são vitimizados pelos monopólios capitalistas corporativos. Assim, vamos reforçar as qualidades positivas do capitalismo negro até que elas dominem as negativas, e a exploração deixará de ser a realidade que a comunidade relutantemente aceita.

Não há salvação no capitalismo, mas através dessa nova abordagem o capitalista negro irá contribuir com sua própria negação ajudando a construir um forte veículo político, guiado por conceitos revolucionário e que serve como vanguarda para o povo. De certa forma, nossa nova posição tem a simplicidade e perfeição de uma fórmula matemática. Quando o capitalista negro contribui com os programas de sobrevivência e faz uma contribuição à comunidade, a comunidade dará suporte e, assim, fortalecer seu negócio. Se ele não fizer nenhuma contribuição à sobrevivência da comunidade, o povo não irá apoiá-lo, e sua empresa irá definhar pela sua própria negligência. Apoiando a comunidade, entretanto, ele estará ajudando a construir a máquina política que acabará por negar sua exploração da comunidade, mas também nega sua exploração e vitimização pelo capitalismo corporativo.

Então, vamos intensificar a contradição entre a comunidade negra e o capitalismo corporativa, e ao mesmo tempo reduzir as contradições entre o capitalista negro e a comunidade negra. Dessa forma, o capitalismo negro será transformado de uma relação de exploração da comunidade em uma relação de serviço da comunidade, o que contribuirá para a sobrevivência de todos.


¹Atualmente, a burguesia está em uma posição mais fraca agora que quando estava livre do colonialismo. Sob o Intercomunalismo Reacionário (como na Europa), a burguesia está em controle de uma unidade menor (comunidade) que estava antes. Isso não só a torna mais fraca, mas também cria uma transformação não-antagônica de suas contradições, uma vez que os interesses objetivos da burguesia são semelhantes, de muitas formas, com os interesses das pessoas pobres.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.