A história de João

João é um cara muito gente fina. Religioso, tem aquele adesivo “Guiado por Deus” no seu carro, uma conta bem ativa no Facebook, ontem mesmo chegou aos 1302 amigos e, segundo ele, seu único defeito é ser fanático pelo seu time.

João é casado faz 6 anos. Tem um filho, o Júnior, e atualmente está desempregado. Faz bicos aqui e ali para ajudar um pouco em casa, pois o salário da Maria dá só para as coisas básicas.

João viu, essa semana, a foto de um jogador do seu time numa situação um pouco constrangedora: ele beijando outro homem. Isso levantou a ira de João e ele não podia deixar por isso mesmo. Ligou para uns 5 amigos e combinou de protestarem na frente da sede do clube. Dos 5 amigos um não podia, tinha que trabalhar, mas outro topou faltar trabalho, pois “na vida todos temos prioridades”.

João passou a mão na chave do carro, aquele com o adesivo “Guiado por Deus”, e saiu em fúria buscar seus amigos. Ultrapassou alguns sinais vermelhos, foi pra frente do clube, berrou palavras de ordem, foi ouvido pela imprensa e seguiu para um barzinho comemorar o “sucesso” do ato. Bebeu um pouco a mais da conta mas ainda estava legal, podia dirigir na boa.

Na volta ainda viu a Cláudia na rua, o flerte que causou sua demissão no último emprego. Se olharam rapidamente, ela ficou um pouco sem graça, e seguiram adiante.

Em casa João está com o dia ganho. Sai do banho, olha pela janela a vizinha gostosa que acabou de fazer 16 aninhos, pensa “nossa, se ela me desse bola só um dia.” Termina de secar o cabelo e vai pra frente da TV ver sua entrevista. Durante a reportagem outro pensamento vem à sua cabeça: “que doideira aconteceu hoje? Tenho que parar com isso. Esse troço vai pegar mal algum dia”. Afinal, seu único defeito é ser fanático pelo seu clube.

Like what you read? Give Chris Lopo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.